Sustentabilidade

Cadeia de valor

Além do cumprimento das exigências legais, um dos pontos estratégicos do fornecimento para a Klabin é a proximidade das nossas florestas com as unidades industriais: um raio médio de 71 km, visto que despesas com logística de transporte de madeira são decisivas para manter a competitividade do negócio.

A maior parte da madeira utilizada para abastecer nossas fábricas vem de plantios próprios. Adicionalmente, adquirimos parte da produção de integrantes do programa de Fomento Florestal ou de produtores independentes, com os quais mantemos contratos baseados em critérios de qualidade, pontualidade de entrega, respeito à legislação e adoção de medidas de proteção ao meio ambiente, entre outros.

Veja iniciativas de relacionamento e desenvolvimento com produtores rurais em Desenvolvimento Local.

Tecnologia a favor das operações

 

Em 2019, começamos a fazer uso de satélites para monitoramento das florestas. Eles facilitam a identificação do crescimento de florestas e de situações adversas, como ocorrência de pragas e doenças, e nos permitem atuar na mitigação de riscos.

Desde 2014, utilizamos drones em nossas operações para captação de imagens aéreas em tempo real, auxiliando na prevenção de pragas, doenças e possíveis incêndios. Em janeiro de 2020, recebemos autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para operar esses equipamentos sem a necessidade de contato visual constante com uma equipe em terra, permitindo realizar voos de até 120 metros de altura.

Cadeia de fornecimento

 

GRI 103-1, 103-2, 103-3, 407-1, 408-1, 409-1

A contratação de fornecedores na Klabin obedece a uma série de critérios para garantir que aspectos legais e de sustentabilidade sejam estendidos à cadeia de valor da Companhia.

Além de exigir níveis mínimos de qualidade e de pontualidade de entrega e conformidade com o fisco, o atendimento à legislação trabalhista, a aspectos da legislação ambiental e de direitos humanos é condição inegociável.

Fornecedores de madeira

 

A certificação FSC® (FSC-C022516) – Forest Stewardship Council®, que a Klabin possui desde 1998, exige processos sólidos e transparentes de rastreamento da matéria-prima, a fim de garantir que não haja violações de legislação ambiental e de direitos humanos na cadeia de fornecimento. Caso haja não conformidade em auditorias realizadas, o fornecimento é suspenso até solução do problema e da aplicação de medidas cabíveis.

As unidades florestais contam com o Programa de Madeira Controlada em que os fornecedores são avaliados pela área Florestal, com base em metodologia específica relacionada à certificação da cadeia de custódia do FSC®. Em 2019, foram feitas 650 visitas a fornecedores de madeira certificados e não certificados no Paraná e 501 em Santa Catarina.

Mantemos o Programa de Certificação Florestal de Pequenos Produtores no Paraná desde 2015 e, em Santa Catarina, desde 2017, contribuindo para gerar maior valor agregado à madeira comercializada por estes parceiros, por meio da adoção de melhores práticas de manejo florestal. Em 2019, totalizaram-se 126 mil  hectares certificados FSC®.  Deste total, 102 mil hectares em 42 municípios – a maioria no Paraná – são de produtores que atendem à unidade da Klabin no Paraná; outros 24 mil hectares em mais de 15 municípios são de produtores de Santa Catarina.

A Klabin também é signatária do Pacto Global, cumpre o que é estabelecido na Declaração Universal de Direitos Humanos, nas diretrizes dos Princípios Orientadores para Empresas sobre Direitos Humanos e na declaração da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Assim, reforça a garantia dos direitos humanos na cadeia de fornecedores. Em 2019, não foram identificados riscos reais ou potenciais de violação dos Direitos Fundamentais nas operações da Klabin e nos fornecedores.

DIRETRIZES EXPRESSAS PARA AS PRÁTICAS DE COMPRAS

Código de Conduta: abrange os padrões de relacionamento e comportamento esperados nos processos de negociação

Código de Conduta: abrange os padrões de relacionamento e comportamento esperados nos processos de negociação

Condições Gerais de Fornecimento: divulgação das exigências aplicáveis a todos os fornecedores

Condições Gerais de Fornecimento: divulgação das exigências aplicáveis a todos os fornecedores

Manual Anticorrupção: norteia o combate à corrupção

Manual Anticorrupção: norteia o combate à corrupção

Política de Responsabilidade Social e Ambiental para a Contratação de Fornecedores

Política de Responsabilidade Social e Ambiental para a Contratação de Fornecedores

Conheça mais sobre os documentos no site.

Perfil de nossos fornecedores

 

GRI 102-9, 204-1

7 mil

fornecedores ativos,

distribuídos em todo o Brasil, integram a cadeia de fornecimento da Klabin.

102

empresas, deste total,

são monitoradas pela Matriz de Criticidade e Sustentabilidade, sendo que 64,7%, em média, são consideradas locais, sendo contratadas nos estados em que possuímos operações (veja tabela).

Produtos e serviços fornecidos:

insumos florestais, commodities e especialidades químicas para produção de celulose e papel;

combustíveis, energia elétrica e embalagens para produtos acabados;

prestação de serviços logísticos, de gestão de materiais, armazenagem e aluguel de empilhadeiras;

fornecimento de materiais auxiliares à produção;

uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs),

rolamentos e bombas;

prestação de serviços de limpeza, segurança e manutenção, entre outras funções.

Percentual do orçamento gasto com fornecedores locais

GRI-204-1

2017 2018 2019
Amazonas 77,80% 38,70% 71,40%
Bahia 28,30% 56,60% 37,80%
Minas Gerais 39,20% 45,90% 55,50%
Paraná 79,50% 65,00% 66,80%
Pernambuco 48,70% 50,60% 37,40%
Santa Catarina 49,80% 56,00% 58,30%
São Paulo 85,00% 87,60% 78,10%
Rio Grande do Sul 14,50% 14,70% 60,00%
Média 60,90% 64,30% 64,70%

Matriz de criticidade e sustentabilidade

 

DESDE 2013, OS FORNECEDORES CRÍTICOS DA ÁREA INDUSTRIAL SÃO AVALIADOS POR MEIO DE UMA MATRIZ DE CRITICIDADE, QUE PERMITE IDENTIFICAR OS RISCOS QUE REPRESENTAM PARA A COMPANHIA, TANTO DO PONTO DE VISTA FINANCEIRO QUANTO DE SUSTENTABILIDADE.

Os impactos identificados pela matriz estão relacionados a iniciativas de ecoeficiência, inventário de gases de efeito estufa (GEE), locais de operações, consumo de água e geração de efluentes, direitos nas relações de trabalho, cumprimento de legislação, treinamento sobre normas ambientais e Saúde e Segurança Ocupacional (SSO), controle de índices de lesões, doenças, absenteísmo, óbitos, práticas de combate à discriminação e prevenção à corrupção, conformidade legal e trabalhista, incidência de trabalho escravo na região de fornecimento, licenciamento ambiental, tipo e perigo de material fornecido, tipo de fornecedor e participação em discussões com comunidades para o desenvolvimento local.

Ainda que critérios socioambientais não sejam a base para a seleção de novos fornecedores, o não atendimento integral a esses critérios pode ser impeditivo para a homologação. 

Por ser signatária do Pacto Nacional a Favor da Erradicação do Trabalho Escravo, a Klabin se compromete com o cruzamento de sua base de Fornecedores ativos e inativos, múltiplas vezes ao ano, com os nomes listados no Cadastro de Empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à Escravidão (popularmente conhecido como “Lista Suja do Trabalho Escravo”). 

Assim, caso haja algum apontamento, seguem-se as devidas ações tomadas pela Companhia: identificação do fornecedor e serviço prestado (data, local, entre outros dados) e notificação formal à parte demandando esclarecimentos e declaração sobre as medidas corretivas implementadas (e sugestões de aprimoramento, caso necessário). A partir dessa etapa, é avaliado se o fornecedor será monitorado ou se o fornecimento será interrompido. Em 2019, não foram registrados casos de fornecedores da cadeia da Klabin que tenham sido citados em tal lista.

Em 2019, 100% dos novos fornecedores (147) foram contratados com base em critérios sociais e ambientais. No período, não houve relatos de queixas e reclamações relacionados a impacto social e ambiental negativo por fornecedores.

Práticas sustentáveis na cadeia de suprimentos

 

GRI 103-1, 103-2, 103-3, 308-2, 414-2

Demos um importante passo no aprimoramento da gestão da cadeia de suprimentos em 2019 com a adoção da metodologia EcoVadis para a avaliação de fornecedores, voltada à classificação de sustentabilidade em diversos aspectos: financeiros, de direitos humanos, questões trabalhistas e sociais.

A partir de um critério de seleção baseado na representatividade, no tamanho e no ramo de atividade, foram selecionados 472 fornecedores de nossa carteira (que representam 54% de movimentação financeira da cadeia de suprimentos) para participarem da avaliação, que considera questões agrupadas em quatro temas: Meio Ambiente, Trabalho e Direitos Humanos, Ética e Compras Sustentáveis.

Divididas em três grupos, 110 empresas foram selecionadas para a primeira fase, em 2019. A aderência foi de 78% (86 empresas), resultado considerado acima da média pela própria EcoVadis. A adesão é voluntária e exige um investimento por parte dos fornecedores. Por isso mesmo, a Klabin financiou a participação de empresas de menor porte.

Todo o processo envolveu comunicação prévia, preparação e, após o diagnóstico, foram elaborados planos de ação em conjunto para as questões críticas identificadas, cuja execução é monitorada pela Klabin, com indicadores atrelados às metas dos gestores de compras. Um novo ciclo de avaliação já teve início em 2020.

Olhar estratégico

 

Para imprimir uma atuação mais estratégica e integrada aos negócios, a área de Suprimentos passou por uma reorganização em 2019, que envolveu reestruturação de gerências e do modelo de gestão, permitindo atuar com a velocidade e a eficiência operacional necessárias ao crescimento da Klabin.

Um modelo matricial de gestão, em que gestores de compras eram responsáveis por determinadas contas ou processos em toda a Companhia, deu lugar a uma estrutura verticalizada, com “torres” de suprimentos voltadas aos negócios da Klabin. Cada torre tem equipes especializadas com responsabilidades pelas compras específicas de cada negócio, compras estratégicas, recebimento de material e estoque. O novo modelo promove a aproximação da área com as unidades e imprime mais expertise técnica ao processo.

Mais próxima dos fornecedores

 

Parte do trabalho de reorganização da área de Suprimentos teve como objetivo aprimorar a relação da Klabin com seus fornecedores. O tema esteve no foco da gestão em 2019, com a organização de encontros regionais, reunindo cerca de 150 fornecedores em cada fórum. Ao fim de cada evento, a equipe mantinha expediente para atendimento desse público e também para a homologação de novos fornecedores.

Outra oportunidade de aproximação foi o primeiro evento de premiação de fornecedores. Um piloto foi realizado com empresas transportadoras de abrangência nacional, reunindo mais de 30 fornecedores, classificados segundo avaliação de níveis de serviço e de segurança, entre outros. Os mais pontuados foram reconhecidos. O programa deve ser estendido a outros setores de atuação. 

Logística

Para escoar nossos volumes de produção para exportação utilizamos os modais rodoviário, ferroviário e marítimo. Por meio de um ramal ferroviário de 23,5 km de extensão, a Unidade Puma, no Paraná, conecta-se à ferrovia Central do Paraná, percorrendo 441 km até chegar à Unidade de Logística de Papel e Celulose, em Paranaguá (PR), por onde passam mais de 900 mil toneladas de celulose por ano. A distância entre a Unidade Logística até o porto de Paranaguá é de 5 km, percorridos por caminhões.

 

Em busca de novas tecnologias no transporte de madeira com maior eficiência e redução do consumo de combustíveis fósseis, iniciamos o uso de carretas tipo tritrem. Trata-se de uma nova modalidade dentro das nossas operações no Paraná. Entre julho e dezembro de 2019, 10% de todo o transporte de madeira para abastecimento da Unidade Monte Alegre utilizou essa modalidade.