Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

EM 2017, CONCLUINDO UM CICLO DE INVESTIMENTO DE R$ 70 MILHÕES EM TRÊS ANOS, A KLABIN AMPLIOU SUA ATUAÇÃO EM PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO, BUSCANDO AVANÇAR EM APLICAÇÕES MAIS SUSTENTÁVEIS PARA SEUS PRODUTOS E ATUAR EM NOVOS MERCADOS

Objetivos de
Desenvolvimento
Sustentável

<i>9 - </i>Innovation and infrastructure 9 - Indústria, Inovação e Infraestrutura

—  Inovar para fazer mais e melhor

A evolução da competitividade da Klabin, desde a produtividade de suas florestas e de seus processos industriais até a gestão dos impactos em sua cadeia de valor, está diretamente ligada aos investimentos constantes em inovação. Em 2017, essa frente estratégica, que inclui Pesquisa e Desenvolvimento, foi ampliada e passou a pautar um movimento de mudança de cultura na Klabin. Assim nasceu o Inova Klabin, programa que passa a vigorar em 2018 estimulando a inovação aberta, o trabalho colaborativo, em rede, para a criação de um ecossistema propício à inovação.

Assim, em 2017, foi realizada a 1ª semana Inova Klabin, com a participação de líderes, clientes, fornecedores e parceiros. Juntos, eles discutiram sobre o futuro do mercado de papel e embalagens e a responsabilidade da Klabin nesse cenário. A partir daí foram realizadas reuniões de Diretoria para discutir a inclusão da inovação aberta na agenda da companhia. Também foram estabelecidos alguns drives que passam a guiar o processo a partir de 2018 e criadas as Gerências de Inovação e de Automação/Inteligência Industrial, que atuam juntamente com a equipe de P&D em um ecossistema de desenvolvimento integrado.

 

  • Uma empresa inovadora sempre

    Não são todas as empresas centenárias que podem se orgulhar do seu histórico de inovações. A Klabin pode. Inovadora desde a sua concepção, a companhia acumula uma série de destaques: foi a primeira empresa a produzir papel imprensa no Brasil, é a única da América Latina a produzir o LPIB e  única  produzir celulose de fibra curta, celulose de fibra longa e fluff a partir de uma planta industrial integrada e inteiramente planejada para esta finalidade, para citar apenas alguns exemplos.

—  Pesquisa e Desenvolvimento

Com demandas de mercados cada vez mais desafiadoras, a Klabin tem ampliado o foco em Pesquisa & Desenvolvimento, entendendo que essa é uma importante vertente tecnológica da Inovação.

O aporte direcionado para P&D+I, entre 2015 e 2017, incluiu convênios com institutos de pesquisa, universidades nacionais e no exterior; estruturação física dos laboratórios; compra de equipamentos; formação e contratação de equipe e a instalação do Centro de Tecnologia (saiba mais em “Boa Prática”, ao fim deste capítulo), inaugurado em junho de 2017, em Telêmaco Borba (PR), complementando as atividades do Centro de Tecnologia Florestal, no mesmo município.

 

 

—  Geração de valor na cadeia
de produção

A área de P&D+I atua tendo em vista todas as etapas da produção na empresa, com ênfase nos seguintes aspectos:

  • Aprimoramento do plantio e manejo de pínus e eucalipto para aumento da produtividade;
  • Desenvolvimento de novos produtos e melhorias em processos para atender às necessidades dos clientes ou melhorar o desempenho econômico e ambiental;
  • Otimização de processos de fornecedores para aumentar a flexibilidade nas compras de insumos e serviços;
  • Soluções para questões das propriedades físicas das embalagens, como barreiras (água, vapor, gordura e oxigênio, por exemplo) e outras características;
  • Avaliação do desempenho dos produtos em aspectos ambientais, de qualidade, produtividade, saúde e segurança.

O novo Centro de Tecnologia desenvolve pesquisas em cinco rotas de atuação:

  • Desenvolvimento da matéria-prima florestal para a celulose;
  • Otimização de papéis e novas aplicações;
  • Biorrefinaria: usos múltiplos da base florestal, principalmente a lignina;
  • Otimização de processos em meio ambiente, reuso de produtos gerados no processo, redução do consumo de água, energia e vapor;
  • Nanotecnologia: frações da celulose em micro ou nanoescala e aplicação em novos produtos.

—  Nos bastidores da P&D+I

  • Implantação de novos clones de pínus e eucalipto que permitem maior rendimento tanto de celulose quanto de biomassa, com vistas a uma base florestal mais sustentável para as operações da empresa.
  • Mecanização das atividades florestais, ampliando o grau de automação dos equipamentos, como forma de gerar melhores condições de trabalho, dos pontos de vista da segurança e ergonomia.
  • Melhoria nos processos industriais com foco na redução dos impactos ambientais e no aumento de produtividade, o que resulta em menor uso de insumos, mais controle de produção e de processo, padrão de qualidade, menor geração de rejeitos e consequentemente menor desperdício, melhorias nos tratamentos de gases e resíduos.
  • Desenvolvimento de aplicações de lignina, hemicelulose e das fibras de celulose em frações micro e nano, possibilitando melhorar a qualidade e as características de produtos que já compõem seu portfólio, e também para desenvolver outras rotas de aplicação para novos mercados.

—  Parcerias

A Klabin desenvolve estudos com colaborações de universidades e centros de pesquisa do Brasil e do exterior voltados à busca de soluções para as necessidades do mercado.

Parceiros no Brasil

  • Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), em Piracicaba (SP)
  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)
  • Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA)
  • Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc)
  • Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro), em Irati (PR)
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Parceiros no exterior

  • Melodea Bio Based Solutions, start up israelense que teve 12,5% adquirida pela Klabin em 2017 (veja mais em Expansão dos negócios)
  • Centre Technique du Papier, em Grenoble, na França
  • Instituto Innventia, na Suécia
  • Lund – Universidade da Suécia
  • Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos
  • Universidade de Toronto, no Canadá
  • Central American and Mexico Coniferous Resources Cooperative, no México
  • VTT Technical Research Centre, na Finlândia

—  TI para a eficiência operacional

Para suportar a eficiência operacional de seu modelo de negócios, a Klabin conta uma estrutura robusta e inovadora de Tecnologia da Informação (TI), com processos e soluções que contribuem para a redução de custos e desperdícios, auxiliam na tomada de decisões e colocam a empresa no caminho da transformação digital.

A chamada internet das coisas tem levado a Klabin a investir em equipamentos com foco em produtividade e redução de custos. Em 2017, em um projeto piloto foi instalado um sistema de gerenciamento de dados que permite monitorar desempenho e estado dos equipamentos industriais, sendo possível programar atividades de manutenção com antecedência, evitando paradas e custos não programados. Para 2018, serão feitos pilotos com as máquinas de colheita da área florestal.

Outras frentes de atuação da área de TI e infraestrutura são:

  • Descarte de equipamentos: a Klabin recorre a empresas especializadas para o descarte de todos os equipamentos de TI (servidores, desktops, notebook, entre outros), quando atingem o fim da vida útil.
  • Redução das impressões: dispositivos instalados em algumas impressoras só finalizam o trabalho quando o colaborador aproxima seu crachá, evitando impressões desnecessárias ou que ficam esquecidas.
  • Consistência nos dados: a adoção do ERP (sigla em inglês para Planejamento de Recurso Corporativo), sistema de informação que integra dados e processos em uma única plataforma, contribui para a gestão dos recursos da companhia, conferindo rapidez nos processos, bem como a redução de desperdícios.
  • Comunicação: links confiáveis de comunicação e internet, que integram todas as unidades da companhia, contribuem para a redução de gastos e pegada de carbono com viagens, já que permitem a comunicação por dispositivos móveis e reuniões por videoconferência de forma eficiente. Na logística florestal, a implantação de um sistema de rastreamento resultou em otimização da frota de caminhões (veja mais em Abastecimento de madeira).
  • Datacenters modernizados: a modernização dos datacenters das unidades da Klabin nos últimos três anos melhorou a capacidade de processamento das informações e tem contribuído para a redução do consumo de energia elétrica na companhia.

—  Boa prática

O Centro de muitas atenções

Um prédio de arquitetura moderna e arrojada inaugurado no Paraná é o sinal mais visível da importância que a Klabin tem dado à Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação para seus processos e produtos

Apenas dois meses após sua inauguração, o Centro de Tecnologia da Klabin já mostrava a que veio, quando sediou a 1ª Semana Inova Klabin, entre 15 e 17 de agosto. Foi a oportunidade de colocar em pauta tendências, aplicações sustentáveis e novas tecnologias voltadas aos negócios de embalagens, papel e celulose. Colaboradores, parceiros, fornecedores, clientes e convidados debateram a inovação em fóruns e painéis.

Mais do que reforçar a proposta de contar com um espaço aberto para a inovação e o conhecimento, o evento, assim como a própria criação do Centro de Tecnologia, alçou a trajetória da PD&I na empresa a uma mudança de patamar. Uma trajetória que teve início na década de 1980 e que há pelo menos sete anos busca garantir que a companhia conte com o que há de mais avançado em tecnologia para  aprimorar processos e produtos.

A criação de um time

O gerente corporativo de P&D, Carlos Augusto Soares do Amaral Santos, na Klabin há sete anos, se orgulha de ter sido um dos pioneiros e incentivadores dessa iniciativa. “Entrei na companhia em 2011 para trabalhar no Projeto Puma e, quando foi criada a Gerência Corporativa de P&D, no mesmo ano, fui designado para essa nova área. Comecei sozinho e, aos poucos, a empresa se convenceu de que era necessário ter uma equipe corporativa de P&D. Parte da equipe da Engenharia de Processos acabou ficando comigo”, conta.

O time se instalou em uma casa no bairro Harmonia, em Telêmaco Borba, lembrança que Carlos guarda com carinho. “Minha esposa foi uma vez lá na casa, viu os equipamentos, o pessoal arrumado trabalhando, as mesinhas, a cozinha e se emocionou”, recorda. “Ela sabia o quanto era importante para mim”.

 

>> DE UMA PESSOA NA ÁREA, EM SETE ANOS, PASSAMOS A UMA EQUIPE DE QUASE CEM <<

Uma visita a uma empresa do setor deixou clara a necessidade de contar com uma estrutura para a área de pesquisa que ficasse fora da fábrica. Estava lançada a semente do que viria a ser o Centro de Tecnologia. Logo foram elaborados os projetos, dentro da visão de uma estrutura e design modernos e de tecnologia de ponta.

Ao longo desses anos, a equipe se estruturou em duas gerências – P&D Florestal e P&D Industrial – e, a partir de processos de sucessão interna e contratações do mercado, o time cresceu. “De uma pessoa na área, há sete anos, passamos a uma equipe de quase 100 profissionais”, orgulha-se Carlos.

 Trabalho integrado

O novo Centro de Tecnologia é considerado um dos mais modernos do Brasil no segmento, no que diz respeito a equipamentos e infraestrutura, sendo capaz de reproduzir o processo fabril desde o pátio de madeira até o produto final. Fica a 12 quilômetros do Centro de Pesquisa Florestal que a Klabin mantém desde a década de 1980 e que também teve seus laboratórios modernizados dentro do plano de investimentos de R$ 70 milhões, feito nos últimos três anos, complementando as pesquisas na área florestal. A Klabin ainda mantém uma rede nacional e internacional de parceiros, que inclui incubadoras de tecnologia, laboratórios de pesquisa e universidades.

    Gommo Desenvolvimento de Sites Mobile em Belo Horizonte
    Bitnami