Abastecimento de Madeira – Klabin

Abastecimento
de Madeira

OPERAÇÃO FLORESTAL GARANTE A COMPETITIVIDADE E A SUSTENTABILIDADE DA COMPANHIA PELA ALTA PRODUTIVIDADE DE SUAS FLORESTAS, MANEJO SUSTENTÁVEL E INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS APLICADAS AOS PROCESSOS

Objetivos de
Desenvolvimento
Sustentável

<i>5 - </i>Gender equality 5 - Igualdade de gênero
<i>8 - </i>Decent jobs and economic growth 8 - Empregos dignos e crescimento econômico
<i>12 - </i>Responsible consumption 12 - Consumo e Produção Responsáveis
<i>16 - </i>Peace and justice 16 - Paz e justiça

—  Eficiência operacional que começa nas florestas

(GRI 102-9, 103-1, 103-2, 103-3)

As florestas da Klabin estão entre as primeiras do mundo em produção de celulose por hectare plantado. A alta produtividade é fator essencial para manter a competitividade e sustentar a estratégia de crescimento da companhia. É das florestas de pínus e eucalipto que são feitos os produtos da empresa e é por meio delas que a Klabin vem avançando em novos mercados.

A maior parte da madeira utilizada vem de plantios próprios. O fornecimento é complementado pela compra da produção de integrantes do programa de Fomento Florestal ou de produtores independentes, com os quais a empresa mantém contratos baseados em critérios de qualidade, pontualidade de entrega, respeito à legislação e adoção de medidas de proteção ao meio ambiente, entre outros.

As operações florestais da Klabin vêm evoluindo para fazer frente aos maiores volumes de produção de celulose, papéis e embalagens decorrentes dos aumentos de capacidades da companhia.

>> EM 2018, FORAM MOVIMENTADOS CERCA DE 15,7 MILHÕES DE TONELADAS DE TORAS E CAVACOS DE PÍNUS E EUCALIPTO PARA COMERCIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO DE PAPEL E RESÍDUOS PARA ENERGIA <<

As inovações tecnológicas que têm sido implantadas na companhia ao longo dos últimos anos vêm conferindo mais eficiência aos processos das operações florestais, especialmente no que se refere ao monitoramento de florestas e processos de informação.

  • AS UNIDADES FLORESTAIS (SÃO PAULO, PARANÁ E SANTA CATARINA) TÊM SEU MANEJO CERTIFICADOS PELO FSC® (FSC-C022516) – FOREST STEWARDSHIP COUNCIL® E TOTALIZAM 239 MIL HECTARES DE FLORESTAS PLANTADAS.

  • DISTÂNCIA MÉDIA DAS FLORESTAS PRÓPRIAS PARA AS FÁBRICAS DE 66 KM NO PARANÁ E DE 74 KM EM SANTA CATARINA, O QUE REPRESENTA UMA GRANDE VANTAGEM COMPETITIVA.

—  Propósito Florestal

(GRI 103-1, 103-2)

Para tornar os ativos florestais ainda mais robustos e obter desempenho cada vez melhor, os objetivos e a visão da Klabin para a área florestal, a serem concretizados em alguns anos, estão sintetizados nos seis pontos do Propósito Florestal:

 

  • Maior produtividade: queremos consolidar a maior produtividade das florestas no mercado mundial de papel e celulose, para nos distanciarmos cada vez mais dos concorrentes. As unidades florestais da Klabin já estão entre as primeiras do mundo em produção de celulose por hectare plantado. Nossa meta é consolidar o primeiro lugar, aumentando a diferença em relação aos nossos concorrentes.

Por meio de sua área de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, a empresa estuda continuamente o aprimoramento de processos de plantio e manejo para elevar a produtividade das florestas.

  • Menor custo operacional: queremos produzir ao menor custo entre as empresas globais de papel e celulose.

A baixa distância entre florestas e fábricas, aliada à alta produtividade da floresta, dá à Klabin condições de ter o menor custo/fábrica de madeira do mundo. Entretanto, devido à compra de florestas de terceiros, mais distantes das fábricas, os custos foram impactados, levando a operação florestal a buscar alternativas estruturais para essa característica da operação e seguir na busca desse propósito.

  • Aceitação pela comunidade: trabalhamos para sermos bons vizinhos e cidadãos. Esse esforço permeia grandes e pequenas ações. Nossos carros-pipa, por exemplo, umedecem as estradas por onde passam os caminhões de transporte de madeira para que não levantem poeira. Desviamos, quando possível, a rota desses caminhões para que não cruzem áreas escolares ou de grande movimento de pedestres e afastamos o limite de nossas plantações das cercas dos vizinhos e das estradas para não causar sombra.

Desde 2016, a Klabin aplica pesquisas para medir a aceitação de suas atividades em todos os municípios em que opera, com a participação de vários públicos. A empresa pretende avaliar regularmente como é vista para que possa aumentar o relacionamento com as comunidades. Os resultados da última pesquisa, em 2018, mostraram importantes avanços neste indicador. Veja mais em Via de mão dupla.

  • Referência em segurança: nosso alvo é ter uma segurança do trabalho de classe mundial, garantindo a integridade física de nossos colaboradores.

A Klabin mantém programas que buscam desenvolver uma cultura de segurança que permita à empresa alcançar altos níveis de produtividade enquanto preserva o bem-estar dos colaboradores. Para 2019, a área contratou uma pesquisa para medir o nível de estresse dos colaboradores da operação florestal a fim de aprimorar as iniciativas relacionadas à qualidade de vida. Veja mais em Pessoas, Saúde e Segurança.

  • Manejo florestal sustentáveltrabalhamos para manter nosso manejo de florestas como referência entre as empresas do mercado mundial de papel e celulose, buscando obter resultados próximos ao potencial máximo de produtividade ao mesmo tempo em que protegemos a biodiversidade e os recursos naturais, como a água e o solo.

O manejo florestal segue o conceito de mosaico: plantios de pínus e eucalipto são intercalados a áreas de florestas nativas e áreas preservadas da mata atlântica brasileira, de forma a criar corredores ecológicos que preservam a fauna e a flora locais. Veja mais sobre as certificações de manejo florestal sustentável em Certificações.

  • Matéria-prima de qualidadequeremos satisfazer nossos clientes internos e externos com matéria-prima de qualidade compatível com suas necessidades.

—  Conectividade e Integração nas Áreas Florestais

A Klabin estuda continuamente o aprimoramento de processos de plantio, manejo florestal e colheita para elevar a produtividade da operação e atender aos maiores volumes de produção previstos. Sob o conceito da indústria 4.0, a empresa vem investindo em inovação e tecnologia para promover a conectividade e a integração em suas áreas florestais. Alguns exemplos de melhorias implantadas nos últimos dois anos são:

  • Aquisição de novas máquinas de colheita que operam em áreas com maior declive, ampliando as possibilidades de colheita de madeira para corte em regiões de difícil movimentação.
  • Softwares embarcados nas máquinas de colheita e a utilização de tablets em campo permitem a captura de dados com rapidez e confiabilidade, aprimorando a gestão de informações na operação florestal.
  • Monitoramento remoto por imagens, por meio de nano satélites (peso entre 1 e 10kg), enviam imagens das florestas periodicamente, permitindo avaliações que contribuem para o maior controle das ocorrências na floresta e suportam o planejamento de operações na silvicultura.

Para curto e médio prazos, a companhia já estuda novos projetos de inovação tecnológica para a área florestal, como a implantação de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) – como drones – com sensores de câmera para o monitoramento de imagens; e a estruturação de uma Central de Operações que aprimore a conectividade das informações, desde a silvicultura até o envio da madeira para a fábrica.

—  Parcerias de valor

(GRI 102-9, 103-1, 103-2, 103-3)

Desde 1984 a Klabin mantém o Programa de Fomento Florestal, buscando ampliar e diversificar a renda das comunidades próximas às suas unidades por meio do plantio de florestas em propriedades rurais. Ao mesmo tempo, esses produtores representam um importante elo na cadeia de fornecimento de madeira para a companhia.

O Programa Matas Legais é outra iniciativa que contribui para aprimorar o planejamento das paisagens, levando em conta fatores ambientais e sociais. Realizado em parceria com a Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida (Apremavi) desde 2005, o programa orienta produtores fomentados e independentes de Santa Catarina e do Paraná sobre o uso sustentável de suas terras, incentivando a recuperação dos remanescentes florestais nativos, a silvicultura com métodos responsáveis, a agricultura orgânica, o ecoturismo e a conservação do patrimônio natural.

A Klabin ainda mantém, junto aos produtores rurais, o programa de incentivo à agricultura familiar denominado Matas Sociais, numa parceria com a Apremavi e o Sebrae. Saiba mais em Promoção do Desenvolvimento Local .

A governança da atuação da área florestal no que diz respeito à interação com as áreas, diálogos, mapeamentos de impactos da operação e atuação regional é realizada pela área de Relações com a Comunidade do Paraná (Veja Engajamento contínuo)

>> PROGRAMAS CONTRIBUEM PARA APRIMORAR O PLANEJAMENTO DAS PAISAGENS E INCENTIVAR A AGRICULTURA FAMILIAR <<

—  Gestão de fornecedores

(GRI 102-9, 103-1, 103-2, 103-3, 308-1, 414-4)

O atendimento legal de práticas trabalhistas, aspectos ambientais e de direitos humanos – a exemplo da não aceitação de trabalho forçado, trabalho infantil ou discriminação de qualquer natureza –, é condição inegociável para a contratação de fornecedores na Klabin.

A certificação FSC®, que a Klabin possui desde 1998, exige processos sólidos e transparentes de rastreamento da matéria-prima, a fim de garantir que não haja violações de legislação e de direitos humanos em sua cadeia de fornecimento. Critérios de qualidade, pontualidade de entrega e conformidade com o fisco, entre outras, também são fundamentais para a escolha dos fornecedores da empresa. Além disso, em 2018, não foram encontradas evidências de desmatamento nas atividades de fornecedores de madeira.

A principais políticas no tema de práticas de compras estão expressas no Código de Conduta da Klabin, que abrange os padrões de relacionamento e comportamento esperados nos processos de negociação; Condições Gerais de Fornecimento, que colaboram com a transparência nos negócios da Klabin ao divulgar de forma antecipada quais são as exigências aplicáveis a todos os fornecedores; Manual Anticorrupção da Klabin, que norteia o combate à corrupção; e Política de Responsabilidade Social e Ambiental para a Contratação de Fornecedores da Klabin. Todas estão disponíveis para consulta pública no site da Klabin. Esses compromissos são reforçados pela adesão voluntária da empresa ao Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo.

Direitos Fundamentais

(GRI 407-1, 408-1, 409-1)

A Política de Direitos Fundamentais nas Relações de Trabalho abrange as diretrizes estabelecidas pelos Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos, elaborado e aprovado pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU. Ela especifica regularizações do tema nas cadeias produtivas, garante a liberdade à associação sindical dos profissionais contratados e seus fornecedores e as negociações coletivas, determina a não admissão de qualquer forma de trabalho compulsório ou infantil e cita que ações devem ser tomadas para total erradicação caso haja suspeita de tais condutas. Também estabelece que as relações de trabalho devem proporcionar condições decentes de trabalho relativas a jornadas, salários, descanso semanal, férias, saúde e segurança, proteção à maternidade e capacidade de conciliar o trabalho com as responsabilidades familiares.

Assim, todas as operações próprias da Klabin estão cobertas por acordos sindicais em sintonia com as premissas da organização (ver item 102-41 no Sumário GRI) e as práticas trabalhistas estão em concordância com as exigências legais estabelecidas pelo Ministério do Trabalho. Não foram identificados riscos reais ou potenciais nas operações da Klabin e em seus fornecedores em 2018.

Avaliação e monitoramento

(GRI 103-1, 103-2, 103-3, 308-1, 308-2, 414-1, 414-2)

A Klabin possui, desde 2013, uma matriz de criticidade para avaliar os fornecedores críticos da área industrial contratados e os riscos que representam para a companhia, tanto do ponto de vista financeiro quanto de sustentabilidade. Os impactos identificados pela matriz estão relacionados a tipo de fornecimento, licenciamentos, conformidade com a legislação ambiental e trabalhista, iniciativas de ecoeficiência, inventário de gases de efeito estufa (GEE), consumo de água e geração de efluentes, treinamento em normas ambientais, Saúde e Segurança Ocupacional (SSO), incidência de trabalho escravo na região de fornecimento, e responsabilidade social. A revisão anual dessa matriz compõe as metas dos profissionais elegíveis à bonificação.

A companhia não possui práticas específicas baseadas em critérios socioambientais para buscar novos fornecedores. No entanto, o não atendimento integral a esses critérios pode ser impeditivo para a homologação.

Em 2018, não houve relatos de queixas e reclamações relacionados a impacto social e ambiental negativo gerado por fornecedores. Em 2019, a área de Suprimentos, em conjunto com a área de Sustentabilidade, está trabalhando em projeto de melhoria no sistema de avaliação de sustentabilidade nos fornecedores.

Análise de documentações

A área de Gestão de Terceiros possui metas quantitativas focadas em receber e analisar, mensalmente, as documentações trabalhistas dos contratos de fornecimento de mão de obra terceirizada, além de fazer monitoramento de campo, que inclui entrevistas com colaboradores terceirizados, e o atendimento a eventuais sinalizações advindas do canal oficial de Ouvidoria da Klabin. O processo está em fase de implantação, mas em 2018 já compreendia a maioria dos terceiros alocados nas atividades da Klabin.

Visitas de campo são realizadas semestralmente e, caso sejam detectados desvios, são gerados planos de ação em conjunto com a empresa contratada, envolvendo os responsáveis hierárquicos e a auditoria interna Klabin para ações de contenção previstas em contrato, que são monitoradas por meio de sistema informatizado.

>> 100% DOS FORNECEDORES CONSIDERADOS ESTRATÉGICOS PARA A KLABIN, DO PONTO DE VISTA ECONÔMICO-FINANCEIRO, SÃO AVALIADOS E CONTRATADOS LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO O ATENDIMENTO LEGAL DE ASPECTOS AMBIENTAIS, DE PRÁTICAS TRABALHISTAS E DE DIREITOS HUMANOS (GRI 308-1, 414-1) <<

Oportunidades

A Klabin considera formas de inclusão econômica para seus fornecedores quando identificada a necessidade. Um exemplo foi o evento organizado em parceria com a Prefeitura Municipal de Ortigueira, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Associação Comercial de Ortigueira junto aos empresários do município para criar canais de comunicação e viabilizar oportunidades de negócio.

Fornecedores de madeira

(GRI 102-9)

As unidades florestais contam com o Programa de Madeira Controlada em que os fornecedores são avaliados pela área Florestal, com base em metodologia específica relacionada à certificação da cadeia de custódia do FSC®. Em 2018, foram feitas 574 visitas a fornecedores de madeira certificados e não certificados no Paraná e 201 em Santa Catarina.

Todos os fornecedores das unidades florestais são submetidos a auditoria, feita pela Klabin, com frequência trimestral. São considerados aspectos de direitos humanos, ambientais, sociais (comunidade de entorno), adequação à legislação trabalhista, a inexistência de condições de trabalho análogo ao escravo e trabalho infantil, além de outros fatores que possam atentar contra a dignidade humana. Em caso de não conformidade, a Klabin interrompe o fornecimento imediatamente e encaminha recomendação de adequação. Após cumprir as recomendações, o fornecedor é novamente auditado e, em caso de não haver pendências, o contrato de fornecimento é retomado.

—  Fornecedores de produtos
e serviços

(GRI 102-9, 204-1)

A Klabin conta com cerca de cinco mil fornecedores ativos distribuídos em todo o Brasil, para o fornecimento de matérias-primas como insumos florestais, commodities e especialidades químicas para produção de celulose e papel, combustíveis, energia elétrica e embalagens para produtos acabados; prestação de serviços logísticos, de gestão de materiais, armazenagem e aluguel de empilhadeiras; fornecimento de materiais auxiliares à produção, uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), rolamentos, bombas e prestação de serviços de limpeza, segurança e manutenção, entre outras funções, além de fornecedores de madeira. Desse total, 1.203 empresas fornecedoras são monitoradas pela Matriz de Criticidade e Sustentabilidade, sendo que 64,3%, em média, foram contratados nos estados em que a Klabin possui operações.

Percentual do orçamento de compras e contratos de unidades operacionais importantes gasto com fornecedores locais¹ (GRI 204-1)

2018 2017 2016
Paraná 65,0% 62,2% 79,5%
São Paulo 87,6% 85,0% 68,1%
Santa Catarina 56,0% 49,8% 50,5%
Amazonas 38,7% 77,8% 14,4%
Minas Gerais 45,9% 39,2% 14,3%
Pernambuco 50,6% 48,7% 52,9%
Rio Grande do Sul 14,7% 14,5% 2,2%
Bahia 56,6% 28,3% 20,5%
MÉDIA 64,3% 60,9% 63,9%

1 O termo “local” refere-se ao estado onde funciona a unidade em que o serviço é prestado ou para onde o material/produto é fornecido.