VERSÃO GRI G4 OPÇÃO ESSENCIAL

ESTRATÉGIA E ANÁLISE

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
ESTRATÉGIA E ANÁLISE
G4-1 Mensagem da Administração

PERFIL ORGANIZACIONAL

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
PERFIL ORGANIZACIONAL
G4-3 A Klabin
G4-4 A Klabin – Nossa empresa
G4-5 A Klabin – Onde estamos
G4-6 A Klabin – Nossa empresa, A Klabin – Onde estamos
G4-7 A Klabin – Nossa empresa
G4-8 A Klabin – Nossa empresa, A Klabin – Onde estamos
G4-9 A Klabin – Nossa empresa, A Klabin – Onde estamos, Excelência – Competitividade e resultados econômicos
G4-10 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos. O desempenho de 2 anos anteriores em relação à informação sobre gênero (total de empregados) pode ser encontrado no link http://rs2014.klabin.com.br
G4-11 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
G4-12 Excelência – Abastecimento de madeira.
As informações não coletadas para este ciclo são referentes a:
- principais elementos da cadeia de abastecimento em relação às principais atividades;
- sequência de atividades ou partes que fornecem serviços para à organização. Para o tema Abastecimento de Madeira, consideramos fomentados e fornecedores de madeira;
- características setoriais específicas da cadeia de fornecedores.
Todas as outras informações são controladas.
G4-13 Sobre esta publicação – Mudanças significativas no período coberto pelo relatório, A Klabin – Nossa empresa, Excelência – Competitividade e resultados econômicos, Excelência – Abastecimento de madeira
G4-14 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-15 Excelência – Certificações
G4-16 A Klabin – Participação setorial

ASPECTOS MATERIAIS IDENTIFICADOS E LIMITES

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
ASPECTOS MATERIAIS IDENTIFICADOS E LIMITES
G4-17 Sobre esta publicação – Como se organiza o relatório
G4-18 Sobre esta publicação – A Materialidade
G4-19 Sobre esta publicação – A Materialidade
G4-20 Sobre esta publicação – A Materialidade
G4-21 Sobre esta publicação – A Materialidade.
Dentre os grupos de stakeholders elencados para a delimitação dos aspectos materiais fora da organização, foram realizadas entrevistas por telefone com cinco especialistas externos do setor ou da área de sustentabilidade; questionário on-line, com 960 respostas de colaboradores da Klabin, 125 respostas de clientes, 115 de fornecedores, 9 de investidores e 18 de outros públicos; visitas de campo em Telêmaco Borba e Ortigueira, no Paraná (conversas com colaboradores da Klabin e oito entrevistas com líderes comunitários, apicultores, fomentados e representantes do poder público local); em Otacílio Costa, Correia Pinto e Lages, em Santa Catarina (11 entrevistas com líderes comunitários, omentados e representantes de instituições locais e poder público); e em Goiana, em Pernambuco (4 entrevistas com prestador de serviço, líder comunitário e representantes da imprensa local e do poder público).
G4-22 O processo de materialidade do Projeto Puma foi desenvolvido a partir de uma análise territorial ainda durante a concepção do projeto, servindo tanto para o relato como para que o desdobramento desses resultados estivesse no planejamento estratégico de Sustentabilidade atual.
G4-23 Quaisquer alterações significativas em relação a períodos anteriores estão indicadas nos próprios indicadores

ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS
G4-24 Sobre esta publicação – A Materialidade
G4-25 Sobre esta publicação – A Materialidade
G4-26 A consulta aos stakeholders na materialidade foi realizada em 2014 e ainda é considerada atual. Verificar os temas conforme público de interesse no relatório anterior, disponível em: http://rs.klabin.com.br/pt/relatar.
G4-27 Sobre esta publicação – A Materialidade.
Existe uma Política de Engajamento de Stakeholders que define a metodologia e os veículos de engajamento com cada público. Os temas foram levantados internamente, com a Comissão de Sustentabilidade; e externamente, por meio das entrevistas com os especialistas.

PERFIL DO RELATÓRIO

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
PERFIL DO RELATÓRIO
G4-28 Sobre esta publicação
G4-29 Sobre esta publicação
O relatório de Sustentabilidade anterior mais recente é de 2014.
G4-30 Sobre esta publicação
G4-31 Sobre esta publicação – Mudanças significativas no período coberto pelo relatório
G4-32 Sobre esta publicação
G4-33 Sobre esta publicação, Sobre esta publicação – Como se organiza o relatório

GOVERNANÇA

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
GOVERNANÇA
G4-34 A Klabin – Nossa empresa, A Klabin – Diretoria e Conselho de Administração

ÉTICA E INTEGRIDADE

CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS PÁGINA
ÉTICA E INTEGRIDADE
G4-56 Excelência – Abastecimento de madeira

ECONÔMICO

FORMAS DE GESTÃO E INDICADORES PÁGINA OMISSÕES RAZÕES PARA OMISSÕES
CATEGORIA: ECONÔMICA
ASPECTO MATERIAL: DESEMPENHO ECONÔMICO
G4-DMA Excelência – Competitividade e resultados econômicos Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EC1 Excelência – Competitividade e resultados econômicos
G4-EC2 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EC3 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
G4-EC4 Excelência – Competitividade e resultados econômicos
ASPECTO MATERIAL: PRESENÇA DE MERCADO
G4-DMA Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EC5 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
G4-EC6 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos A Klabin contrata cargos de alta gestão localmente porém não há controle/monitoramento sobre o percentual destes colaboradores
ASPECTO MATERIAL: IMPACTOS ECONÔMICOS INDIRETOS
G4-DMA Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EC7 Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
G4-EC8 Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
ASPECTO MATERIAL: PRÁTICA DE COMPRAS
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EC9 Excelência – Abastecimento de madeira

AMBIENTAL

FORMAS DE GESTÃO E INDICADORES PÁGINA OMISSÕES RAZÕES PARA OMISSÕES
CATEGORIA: AMBIENTAL
ASPECTO NÃO MATERIAL: MATERIAIS
G4-DMA Forma de gestão do aspecto não reportada por não ser material.
G4-EN1 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO MATERIAL: ENERGIA
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EN5 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN6 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO MATERIAL: ÁGUA
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EN8 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN9 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN10 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO MATERIAL: BIODIVERSIDADE
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EN11 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN13 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN14 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO NÃO MATERIAL: EMISSÕES
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN15 Sustentabilidade – Meio ambiente.
Os gases incluídos no cálculo são CO2, CH4, N2O, HFC, TFC, SF6 e NF3
G4-EN16 Sustentabilidade – Meio ambiente.
Os gases incluídos no cálculo são CO2, CH4, N2O, HFC, TFC, SF6 e NF3
G4-EN17 Sustentabilidade – Meio ambiente.
Os gases incluídos no cálculo são CO2, CH4, N2O, HFC, TFC, SF6 e NF3
G4-EN18 Sustentabilidade – Meio ambiente.
Os gases incluídos no cálculo são CO2, CH4, N2O, HFC, TFC, SF6 e NF3
G4-EN19 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN21 Sustentabilidade – Meio ambiente.
O cálculo envolve somente as unidades de negócio Papel por conta da metodologia da meta estabelecida, que relaciona a emissão à tonelada de papel produzida: 210 kg CO2eq/t papel (Klabin S.A.)
ASPECTO MATERIAL: EFLUENTES E RESÍDUOS
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais. Para o próximo ciclo, os dados de efluentes controlados no Portal do Meio Ambiente serão aprofundados.
G4-EN22 Sustentabilidade – Meio ambiente
G4-EN23 Sustentabilidade – Meio ambiente A Klabin não relata os tipos de resíduos não-perigosos por método de disposição pois sua definição varia conforme viabilidade técnica.
ASPECTO NÃO MATERIAL: CONFORMIDADE
G4-DMA Forma de gestão do aspecto não reportada por não ser material.
G4-EN29 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO MATERIAL: AVALIAÇÃO AMBIENTAL DE FORNECEDORES
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
A Klabin possui uma matriz de criticidade para avaliação de fornecedores com base em diversos critérios, incluindo questões de sustentabilidade. Como objetivo, a área buscará em 2016 aprofundar e fortalecer a análise dos fornecedores, verificando as evidências que são base para a matriz de criticidade, bem como realizar auditorias nos fornecedores. Na próxima revisão de materialidade, consideraremos este aspecto.
G4-EN32 Excelência – Abastecimento de madeira
G4-EN33 Excelência – Abastecimento de madeira A Klabin não controla o percentual de fornecedores identificados como causadores de impactos ambientais negativos.
ASPECTO MATERIAL: MECANISMOS DE QUEIXAS E RECLAMAÇÕES RELATIVAS A IMPACTOS AMBIENTAIS
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-EN34 Sustentabilidade – Meio ambiente

SOCIAL

FORMAS DE GESTÃO E INDICADORES PÁGINA OMISSÕES RAZÕES PARA OMISSÕES
CATEGORIA: SOCIAL
SUBCATEGORIA: PRÁTICAS TRABALHISTAS E TRABALHO DECENTE
ASPECTO MATERIAL: SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO
G4-DMA Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
A Klabin realizou um workshop de segurança (Desafios em Gestão de Segurança) com todos os diretores que tem operação e alguns gerentes para entender as oportunidades de melhoria em relação à excelência em segurança na Klabin. Em 2016 serão realizados encontros desse grupo, e com o auxílio de uma consultoria externa, para construir o Plano Diretor de SSO.
G4-LA5 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
G4-LA6 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
ASPECTO NÃO MATERIAL: TREINAMENTO E EDUCAÇÃO
G4-DMA Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
G4-LA9 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
ASPECTO NÃO MATERIAL: DIVERSIDADE E IGUALDADE DE OPORTUNIDADES
G4-DMA Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos.
Em 2016, a Klabin assinou um TAC com o Ministério Público para a contratação de pessoas com deficiência em todas as unidades de operação. Os planos de ação para contratação serão realizados por cada unidade industrial, tendo início com um mutirão na comunidade da região de Telêmaco Borba para o cadastro de pessoas com deficiência; e com parcerias para a implementação de ações de forma sistematizada.
G4-LA12 Excelência – Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
ASPECTO MATERIAL: AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES EM PRÁTICAS TRABALHISTAS
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira. A Klabin possui uma matriz de criticidade para avaliação de fornecedores com base em diversos critérios, incluindo questões de sustentabilidade. Como objetivo, a área buscará em 2016 aprofundar e fortalecer a análise dos fornecedores, verificando as evidências que são base para a matriz de criticidade, bem como realizar auditorias nos fornecedores. Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-LA14 Excelência – Abastecimento de madeira
G4-LA15 Excelência – Abastecimento de madeira A Klabin não controla o número de fornecedores identificados como causadores de impactos negativos significativos sobre práticas trabalhistas na cadeia de valor.
ASPECTO NÃO MATERIAL: MECANISMOS DE RECLAMAÇÃO DE PRÁTICAS TRABALHISTAS
G4-LA16 Sustentabilidade – Meio ambiente
SUBCATEGORIA: DIREITOS HUMANOS
ASPECTO MATERIAL: LIBERDADE DE ASSOCIAÇÃO E NEGOCIAÇÃO COLETIVA
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
Os impactos que tornam o aspecto material e as consultas realizadas estão publicadas na primeira publicação da materialidade, disponível em http://rs2014.klabin.com.br
G4-HR4 Excelência – Abastecimento de madeira
ASPECTO MATERIAL: TRABALHO INFANTIL
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
Os impactos que tornam o aspecto material e as consultas realizadas estão publicadas na primeira publicação da materialidade, disponível em http://rs2014.klabin.com.br G4-HR5 Excelência – Abastecimento de madeira
ASPECTO MATERIAL: TRABALHO FORÇADO OU ANÁLOGO AO ESCRAVO
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
Os impactos que tornam o aspecto material e as consultas realizadas estão publicadas na primeira publicação da materialidade, disponível em http://rs2014.klabin.com.br
G4-HR6 Excelência – Abastecimento de madeira
ASPECTO NÃO MATERIAL: DIREITOS INDÍGENAS
G4-DMA Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
G4-HR8 Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
ASPECTO MATERIAL: AVALIAÇÃO
G4-DMA Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-HR9 Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
ASPECTO MATERIAL: AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES EM DIREITOS HUMANOS
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
A Klabin possui uma matriz de criticidade para avaliação de fornecedores com base em diversos critérios, incluindo questões de sustentabilidade. Como objetivo, a área buscará em 2016 aprofundar e fortalecer a análise dos fornecedores, verificando as evidências que são base para a matriz de criticidade, bem como realizar auditorias nos fornecedores.
G4-HR10 Excelência – Abastecimento de madeira
G4-HR11 Excelência – Abastecimento de madeira A Klabin não controla o número de fornecedores identificados como causadores de impactos negativos significativos reais ou potenciais em direitos humanos na cadeia de fornecedores.
ASPECTO MATERIAL: MECANISMOS DE QUEIXAS E RECLAMAÇÕES RELACIONADAS A DIREITOS HUMANOS
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-HR12 Sustentabilidade – Meio ambiente
SUBCATEGORIA: SOCIEDADE
ASPECTO MATERIAL: COMUNIDADES LOCAIS
G4-DMA Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-SO1 Sustentabilidade – Promoção do desenvolvimento local
ASPECTO NÃO MATERIAL: COMBATE À CORRUPÇÃO
G4-SO4 Sustentabilidade – Meio ambiente
ASPECTO MATERIAL: CONCORRÊNCIA DESLEAL
G4-DMA Visão de futuro – Expansão dos negócios Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
Os impactos que tornam o aspecto material e as consultas realizadas estão publicadas na primeira publicação da materialidade, disponível em http://rs2014.klabin.com.br
G4-SO7 Visão de futuro – Expansão dos negócios
ASPECTO MATERIAL: AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES EM IMPACTOS NA SOCIEDADE
G4-DMA Excelência – Abastecimento de madeira.
A Klabin não possui critérios relacionados ao impacto dos fornecedores na sociedade.
G4-SO9 Excelência – Abastecimento de madeira.
A Klabin não possui critérios relacionados ao impacto dos fornecedores na sociedade.
G4-SO10 Excelência – Abastecimento de madeira
ASPECTO MATERIAL: MECANISMOS DE QUEIXAS E RECLAMAÇÕES RELACIONADAS A IMPACTOS NA SOCIEDADE
G4-DMA Sustentabilidade – Meio ambiente Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-SO11 Sustentabilidade – Meio ambiente
SUBCATEGORIA: RESPONSABILIDADE PELO PRODUTO
ASPECTO MATERIAL: SAÚDE E SEGURANÇA DO CLIENTE
G4-DMA No último ciclo, este aspecto GRI estava ligado ao tema material Pesquisa, desenvolvimento e inovação. No entanto, foi entendido que o aspecto não está relacionado à materialidade do tema, que é a busca de processos sustentáveis para agregar valor aos negócios da companhia, e não o foco em saúde e segurança nas etapas de produção (em que foca o indicador).
ASPECTO MATERIAL: ROTULAGEM DE PRODUTOS E SERVIÇOS
G4-DMA Inovação – Satisfação dos clientes e qualidade do produto Objetivos e metas relacionados ao aspecto material. A partir da definição da Visão de Sustentabilidade em 2013, a companhia formalizou sua atuação em relação ao tema. A partir disso, foi elaborada uma Estratégia de Sustentabilidade alinhada à Materialidade, que define os planos de ação para tanto. As metas de desempenho relacionadas à gestão dos temas materiais são geridas independentemente pelas áreas responsáveis e são confidenciais.
G4-PR5 Inovação – Satisfação dos clientes e qualidade do produto
Voltar ao topo

O ano de 2015 foi fundamental para a Klabin concretizar um grande sonho. Avançamos com as obras da nova Unidade Puma, em Ortigueira, no Paraná, dentro do ritmo e dos investimentos programados, os maiores de nossa história. Chegamos ao final de 2015 com 95% das obras da fábrica de celulose concluídas e 77% do desembolso financeiro realizado. Graças a esse desempenho e ao trabalho de todos os colaboradores, direta e indiretamente envolvidos no projeto, demos a partida na operação em março de 2016, com a produção do primeiro fardo de celulose, cumprindo o prazo e o orçamento previstos.

A Unidade Puma é um marco fundamental em nosso ciclo de crescimento. Em funcionamento pleno, ela acrescenta 1,5 milhão de toneladas de celulose por ano à nossa capacidade produtiva, distribuídas entre celulose de fibra curta (de eucalipto), celulose de fibra longa (de pínus) e celulose fluff, insumo usado em fraldas e absorventes.

Ao mesmo tempo que direcionamos nossos esforços para realizar o sonho de construir uma nova fábrica que vai nos permitir dobrar de tamanho e entrar em mercados nos quais não atuávamos, conseguimos trabalhar em um cenário adverso e manter o bom desempenho dos negócios ao longo do ano.

Com a qualidade de nossos produtos e a eficiência dos processos, ampliamos nossa presença global como exportadores de papéis e cartões. Com isso, encerramos o ano com um crescimento significativo dos resultados no mercado externo e mantivemos sem interrupção uma trajetória positiva de geração operacional de caixa, que registrou, ao final de 2015, 18 trimestres consecutivos de crescimento.

Aumentamos em 15% os volumes exportados, que responderam, no ano, por 34% das vendas totais – um crescimento de 3 pontos percentuais sobre 2014. Nossa geração operacional de caixa (Ebitda ajustado) atingiu R$ 1.975 milhão em 2015 – o melhor resultado histórico da companhia, 15% superior ao do ano anterior.

A Excelência e a Visão de Futuro, expressos nos resultados destacados acima, são atributos constantes na história de 117 anos da Klabin. Tão importante quanto eles é a atenção à Sustentabilidade como aspecto fundamental de nossa existência e o contínuo desafio de avaliação e consideração de externalidades socioambientais para tomada de decisões, evidenciado em nossos compromissos que aderimos voluntariamente. Um desses compromisos é o Pacto Global, mobilização empresarial internacional em busca de uma economia mais sustentável e inclusiva, com o respaldo da Organização das Nações Unidas (ONU). Acreditamos que o bom relacionamento com esses grupos é profícuo tanto para os beneficiados como para a Klabin e que essa aproximação e o engajamento de partes interessadas consolidam a estratégia de longo prazo da companhia em relação ao desenvolvimento sustentável. [GRI G4-1].

O ano que passou nos proporcionou a satisfação de ver reconhecidas, de maneiras diversas, nossas iniciativas de aprimoramento em sustentabilidade e na preservação do meio ambiente: mais de 40% de nossas áreas são dedicadas à conservação de florestas nativas da mata atlântica. Fomos apontados pelo Carbon Disclosure Project (CDP) Latin America como a empresa com a melhor prática de gestão do capital natural e nos destacamos na categoria Gestão da Água no Guia Exame de Sustentabilidade. Voltamos a figurar com um bom desempenho, pela segunda vez, no Relatório de Performance Ambiental Environmental Paper Company Index (EPCI), iniciativa bianual do WWF; e fizemos parte, pela terceira vez consecutiva, da carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BM&F Bovespa.

Fomos escolhidos, ainda, pelo anuário Valor 1000, do jornal Valor Econômico, como Empresa de Valor 2015, um reconhecimento que abrange critérios de governança corporativa, envolvimento social e respeito ao consumidor e ao meio ambiente. Nosso desempenho se confirmou por um estudo da empresa de informações financeiras Economática, que avaliou a Klabin como a empresa integrante da Bovespa que teve o maior crescimento do valor de mercado em 2015. Trata-se de um resultado que ganha relevo maior ao se considerar que o valor das empresas brasileiras de capital aberto listadas na Bolsa de Valores de São Paulo caiu, no ano passado, a níveis equivalentes aos de 2009.

É a atenção que damos à pesquisa, ao desenvolvimento e à Inovação – outro atributo da Klabin ao longo da história – que endossa nossas conquistas, nossa perenidade e nossa liderança de mercado. Estamos certos de que são necessários investimentos substanciais e continuados em tecnologias promissoras, processos produtivos inovadores, modelos de gestão avançados e capacitação de pessoas para promover o crescimento sustentável da companhia.

Em 2015...
Fomos apontados pelo
Carbon Disclosure Project (CDP)
Latin America como a empresa
com a melhor prática de
Gestão do Capital Natural
Integramos,
pela terceira vez, a
carteira do Índice de
Sustentabilidade Empresarial
(ISE) da BM&F Bovespa

Temos consciência de que nenhum de nossos planos se concretizará se não soubermos atrair, formar e cuidar das pessoas certas, que nos ajudem a atingir nossas metas. Uma organização sustentável é também, para nós, aquela que se sustenta em pessoas motivadas e desafiadas a dar o melhor de si. Buscamos oferecer a elas o apoio e os estímulos necessários para que possam construir conosco sua carreira.

Dedicamos a todos os colaboradores, clientes, acionistas, investidores, parceiros de negócios e fornecedores um sincero agradecimento pela confiança e pelo trabalho que desenvolveram conosco em 2015. A entrada em operação da Unidade Puma e a ampliação dos investimentos e dos esforços feitos nos últimos anos abrem agora, para o futuro próximo, novas oportunidades de crescimento e realizações em comum, não obstante os desafios apresentados pela conjuntura imediata. Nos próximos anos, planejamos dobrar de tamanho, entrar em mercados nos quais não atuávamos, executar novos investimentos e fortalecer nossa frente de pesquisa. Esperamos contar com todos na jornada de construção de uma empresa ainda mais inovadora e sustentável. [G4-1]

A Administração

Voltar ao topo

O Relatório de Sustentabilidade da Klabin em 2015

Este é o 17º Relatório de Sustentabilidade publicado anualmente pela Klabin. Nele, apresentamos a nossos públicos de relacionamento - parceiros de negócios, clientes, colaboradores, fornecedores, comunidade, acionistas e outros públicos interessados - as informações mais relevantes sobre o desempenho da companhia em 2015, abrangendo acontecimentos marcantes para o desenvolvimento dos negócios, as práticas de gestão adotadas no período e uma visão de nossas perspectivas para o futuro. Em alguns casos, são relatados destaques referentes ao início de 2016, por serem considerados de relevância estratégica para a empresa. [G4-24, G4-28, G4-29, G4-30]

Adotamos, para a apresentação das informações neste relatório, as diretrizes G4 Essencial da Global Reporting Initiative (GRI), organização reconhecida internacionalmente como padrão de excelência na criação de metodologias e indicadores para o relato da gestão socioambiental e econômica de empresas. No entanto, alguns indicadores aqui relatados não estão ligados a nenhum aspecto GRI e foram reportados por serem considerados relevantes, pois se relacionam a índices e compromissos externos. [G4-32, G4-33]

Declaração de Garantia Voltar ao topo

Declaração de Garantia

A BSD Consulting realizou a verificação independente do processo de elaboração do Relatório de Sustentabilidade de 2015 da Klabin, desenvolvido de acordo com as diretrizes da GRI G4 (Global Reporting Initiative), opção de acordo “essencial”. O processo de verificação aconteceu pelo sexto ano consecutivo e tem o objetivo de proporcionar às partes interessadas da Klabin uma opinião independente sobre: a qualidade do relatório; os processos de engajamento com stakeholders; a aderência aos princípios da AA1000AS 2008; e a gestão de sustentabilidade da empresa.

Independência

Trabalhamos de forma independente e asseguramos que nenhum integrante da BSD mantém contratos de consultoria ou outros vínculos comerciais com a Klabin. A BSD Consulting é licenciada pela AccountAbility como provedor de garantia (AA1000 Licensed Assurance Provider), sob o registro 000-33.

Nossa Competência

A BSD Consulting é uma empresa especializada em sustentabilidade. Os trabalhos foram conduzidos por uma equipe de profissionais experientes e capacitados em processos de verificação externa.

Responsabilidades da Klabin e da BSD

A elaboração do Relatório de Sustentabilidade, bem como a definição de seu conteúdo é de responsabilidade da Klabin. A verificação do relatório foi objeto de trabalho da BSD.

Escopo e Limitações

O escopo de nossos trabalhos inclui as informações da versão completa do Relatório de Sustentabilidade 2015 da Klabin, no período coberto pelo relatório de 01 de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2015. O processo de verificação independente foi conduzido de acordo com o padrão AA1000AS 2008 (AA1000 Assurance Standard 2008), na condição de verificação do Tipo 1, proporcionando um nível moderado de Assurance. Os objetivos da Declaração de Garantia são de informar às partes interessadas as conclusões da BSD sobre o processo que abrange a avaliação da aderência do processo de prestação de contas da Klabin aos três princípios: Inclusão, Materialidade e Capacidade de Resposta. A verificação de dados financeiros não foi objeto dos trabalhos da BSD Consulting.

Metodologia

Os procedimentos desenvolvidos durante os trabalhos e a abordagem de verificação do processo AA1000AS incluem:

  • Avaliação do conteúdo do Relatório de Sustentabilidade de 2015;
  • Avaliação do processo de engajamento e materialidade, com foco nos critérios da GRI G4;
  • Entendimento do fluxo dos processos de obtenção e geração das informações para o Relatório de Sustentabilidade;
  • Pesquisa de informações públicas sobre o setor e a companhia (imprensa, sites e bases legais);
  • Entrevistas com gestores de áreas-chave em relação à relevância das informações para o relato e gestão da sustentabilidade;
  • Entrevistas presenciais com líderes da empresa;
  • Entrevista com stakeholder externo local, próximo à unidade da empresa no Paraná;
  • Quando relevante, verificação de informações sobre o desempenho de sustentabilidade com o entendimento do corpo diretivo da empresa;
  • Revisão das evidências dos aspectos e indicadores selecionados para verificação;
  • Análise das evidências do processo de consulta a stakeholders;
  • Análise da relevância das informações do Relatório de Sustentabilidade do ponto de vista de públicos externos;
  • Com base em testes amostrais, confirmação de informações do Relatório de Sustentabilidade com documentação-suporte, relatórios gerenciais, controles internos e correspondências oficiais.

Principais Conclusões sobre a Aderência aos Princípios AA1000AS 2008

1. Inclusão – aborda a participação de stakeholders no desenvolvimento de um processo de gestão de sustentabilidade transparente e estratégico.

  • Em 2015 foi criada uma nova diretoria para a gestão da Sustentabilidade, junto com as áreas de Planejamento Estratégico, Comercial e Comunicação. A Klabin possui uma Comissão e Comitê de Sustentabilidade, do qual o diretor participa e desta forma, o modelo de governança permitirá ampliar a disseminação de questões do tema nos próximos anos, tanto internamente quanto do ponto de vista externo.
  • No ciclo de 2015 não ocorreu a reunião anual do Comitê de Sustentabilidade, com todas as lideranças nele representadas. Houve mudanças organizacionais em algumas diretorias da empresa e, por esse motivo, a equipe de sustentabilidade apresentou separadamente os resultados da materialidade do ano anterior, bem como os objetivos estratégicos de sustentabilidade. Foram realizadas reuniões especificas com: um membro do Conselho de Administração, a presidência e diretores. Os objetivos estratégicos de sustentabilidade definidos em 2015 serão apresentados para todos os diretores em uma reunião formal no próximo período.
  • Em 2015 foi criado o Comitê do Clima, com foco em avaliar os impactos do clima em duas frentes: impactos econômicos para a produção e perenidade da empresa e a contribuição ambiental que as atividades da empresa podem trazer. O Comitê é composto por 7 áreas da empresa, porém apenas Comunicação e Sustentabilidade e Finanças e Relações com Investidores participaram da primeira reunião. As mudanças do clima são um tema relevante para a Klabin e o setor de papel e celulose, e a empresa tem desenvolvido iniciativas ao longo dos anos para entender os impactos do tema para a perenidade do negócio. É importante garantir o envolvimento de diferentes áreas neste comitê, permitindo ampliar a visão de riscos e oportunidades da empresa associados ao tema.
  • Em 2015 foram implementados os Fóruns de Comunidades Locais, nos municípios de Otacílio Costa e Correia Pinto, em Santa Catarina. O objetivo da Klabin é apoiar o empoderamento de stakeholders locais, com foco no diálogo sobre oportunidades de melhorias em seus municípios e definição de planos de ação com envolvimento ‘multi-stakeholder’. Cerca de 40 pessoas compareceram nos dois encontros iniciais, representando diversos stakeholders, como: ONGs, associações de moradores, instituições de ensino, poder público, entre outros. Em 2016, serão realizados novos encontros para definição de objetivos e planos de ação. É importante manter e ampliar a iniciativa, permitindo o fortalecimento de relações comunitárias locais e a autonomia dos stakeholders na tomada de decisões relacionadas aos municípios onde a empresa atua.
  • A área de comunicação e sustentabilidade do Projeto Puma foi ampliada em 2015. Foi constituída uma nova gerência na Klabin, de “Relacionamento com a comunidade”, com abrangência de atuação em toda a área de operação da Klabin no estado do Paraná. O objetivo desta nova gerência é garantir o bom relacionamento da empresa com os públicos de interesse na região, além de manter e fortalecer os programas sociais e comunitários desenvolvidos como contrapartidas do projeto durante o ciclo anterior,
  • Em decorrência do Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do projeto Puma, a Klabin elaborou um Projeto Básico Ambiental (PBA) que busca mitigar e compensar seus impactos através da implementação de projetos e programas sociais e ambientais. Um exemplo é o projeto Planejando Propriedades Sustentáveis, com foco na recuperação e conservação ambiental, bem como a autonomia socioeconômica de comunidades locais, fixando a população rural da região. Em 2015 foi realizado um planejamento ambiental em 160 propriedades nos municípios de Imbaú e Lajeado Bonito. Em 2016, a Klabin realizará a compra de produtos da agricultura familiar local para o refeitório da Klabin em Ortigueira.

2. Materialidade (ou Relevância) – assuntos necessários para que os stakeholders tomem conclusões sobre o desempenho econômico, social e ambiental da organização.

  • A partir da matriz de materialidade, a Comissão de Sustentabilidade definiu em 2015 a estratégia de sustentabilidade da Klabin, objetivos estratégicos e seus respectivos indicadores. A definição dos indicadores estratégicos foi feita a partir de um processo de revisão de todos os indicadores externos e internos disponíveis utilizados pela empresa. O resultado deste processo foi apresentado em 2015 para alguns diretores e será conduzida uma reunião de validação da estratégia com toda a diretoria no próximo ciclo.
  • Os resultados do processo de materialidade do ciclo anterior foram mantidos, porém houve a inclusão do tema “Satisfação dos Clientes e Qualidade do Produto”. O tema foi incluído após avaliação interna junto à diretoria de planejamento estratégico e comercial. Aliado a este tema, a empresa iniciou em 2015 uma pesquisa de satisfação dos clientes, primeiramente com os clientes de papel ondulado. Como resultado da materialidade, os aspectos materiais no ciclo anterior foram mantidos, complementando-se a lista com o aspecto “Rotulagem de produtos e Serviços” associado ao novo tema.
  • O cruzamento dos temas materiais com os aspectos GRI G4 foi mantido em 2015. Como no ano anterior, recomendamos reavaliar o cruzamento dos temas materiais com os aspectos GRI G4, de forma a considerar a inclusão dos aspectos Combate a Corrupção e Transporte, que está relacionado ao tema “Expansão” e seus impactos. Esses aspectos possuem relevância significativa para as operações da empresa e no contexto de sustentabilidade do setor e do país.
  • Ressalta-se a importância de realizar uma avaliação de impactos relacionados aos temas materiais identificados. A análise dos impactos e limites é um requisito das diretrizes GRI G4 no processo de materialidade (G4-20 e G4-21). Essa avaliação permite o aprofundamento e direcionamento da gestão e estratégia de sustentabilidade da empresa em relação aos seus diferentes públicos e unidades de negócios.

3. Capacidade de Resposta – aborda as ações tomadas pela organização em decorrência de demandas específicas de stakeholders.

  • Em 2015 houve a continuidade na utilização da Matriz Estratégica de Fornecedores. A ferramenta é composta de duas matrizes de avaliação de fornecedores: a Matriz de Negócios, que avalia riscos e impactos do fornecedor para a Klabin relacionada aos critérios técnicos, econômicos e trabalhistas e a Matriz de Sustentabilidade, que aborda questões ambientais, de direitos humanos e legislação ambiental. As matrizes são utilizadas como ferramenta para avaliação e possível exclusão de fornecedores, no entanto não foram aplicadas aos fornecedores do projeto Puma. Ressalta-se a importância de aprimorar e ampliar o uso da ferramenta, de forma a estabelecer critérios ambientais e sociais como parte da seleção de fornecedores,
  • Os temas “Certificações” e “Promoção do desenvolvimento local e relacionamento com comunidades” foram relatados de forma adequada em 2015. Destaca-se o relato de ações relacionadas a gestão da cadeia de fornecimento e o programa de madeira controlada para fornecedores. No entanto, alguns aspectos materiais, como “Efluentes e Resíduos” e “Mecanismos de Queixas e Reclamações Relativas a Impactos Ambientais”, podem ser aprofundados e aprimorados no relatório. Em 2015 ocorreu um transbordo da máquina de papel na unidade de Goiana, em Pernambuco, devido a um problema durante a fase de teste da nova máquina. Como consequência, a Klabin realizou investimentos para evitar novas ocorrências e notificou os órgãos ambientais responsáveis sobre o acidente. Este fato não foi apresentado no relatório, ainda que tenha relevância para as operações da empresa na região. Destaca-se a importância do relato da gestão de efluentes, incluindo eventos importantes para o contexto de sustentabilidade deste tema, bem como formas de gestão utilizadas para mitigar esse tipo de ocorrência.
  • Os controles relacionados ao indicador G4-LA6 (tipos e taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absenteísmo e número de óbitos relacionados ao trabalho, discriminados por região e gênero) estão padronizados quanto às informações sobre funcionários próprios e terceiros, com exceção dos controles relacionados à taxa de doenças ocupacionais, que não puderam ser validados neste ciclo. A taxa de frequência de acidentes é um indicador significativo para a empresa e aumentou no período de 2015 para os colaboradores próprios. As formas de gestão de Saúde e Segurança para os colaboradores do projeto Puma não foram apresentadas no relatório, apesar de utilizarem as mesmas ferramentas da gestão corporativa Klabin. Há oportunidade de intensificar os programas de Saúde e Segurança de forma a aumentar a cultura de prevenção de acidentes na empresa, reduzir a taxa de frequência de acidentes, bem como a gravidade das ocorrências.
  • O monitoramento dos indicadores ambientais dos aspectos Água, Energia, Resíduos e Efluentes é realizado mensalmente em todas as unidades através do Portal do Meio Ambiente. Os controles do indicador G4-EN22 (Descarte total de água, discriminado por qualidade e destinação) estão padronizados, pois os responsáveis de cada unidade possuem controles mensais e as informações são revisadas por meio de uma análise crítica da área corporativa de Meio Ambiente. Ressalta-se a importância de aprimorar o fluxo de informações e as formas de controles internos relacionados aos indicadores de Efluentes e Resíduos e promover o alinhamento entre todas as unidades, garantindo a confiabilidade das informações, melhorias na consolidação dos indicadores, bem como o atendimento às metas e parâmetros legais aplicáveis.
  • Os controles relacionados ao indicador G4-EC9 - Proporção de gastos com fornecedores locais em unidades operacionais importantes são padronizados. A área de Suprimentos possui a gestão de todos os fornecedores cadastrados na Klabin, no entanto o sistema não indica quais são os fornecedores locais da empresa. Esta informação é elaborada apenas para o relatório de sustentabilidade, com a utilização dos dados de cadastro dos fornecedores. Adicionalmente, as informações sobre fornecedores locais por estado, complementares aos requisitos do indicador, não foram apresentadas para validação.
  • Os indicadores relacionados a gestão de fornecedores G4-HR10 (Percentual de novos fornecedores selecionados com base em critérios relacionados a direitos humanos), G4- LA14 (Percentual de novos fornecedores selecionados com base em critérios relativos a práticas trabalhistas) e G4-EN32 (Porcentagem de novos fornecedores que foram avaliados usando critérios ambientais) não estão padronizados. As informações sobre os fornecedores avaliados nas matrizes de sustentabilidade e de negócios estão sistematizadas, porém não há controles específicos para mensurar o número de novos fornecedores selecionados e avaliados com base nos critérios de sustentabilidade estabelecidos na Matriz Estratégica de Fornecedores. Assurance do Relatório de Sustentabilidade 2015 da Klabin
  • A Klabin possui um canal de queixas corporativo, gerenciado pela área de Ouvidoria, além de canais locais nas unidades florestais (São Paulo, Paraná e Santa Catarina) para receber manifestações do público interno e externo. Os controles dos indicadores: G4-EN34 (número de queixas e reclamações sobre impactos ambientais registradas, processadas e solucionadas por meio de mecanismo formal), G4-HR12 (Número de queixas e reclamações relacionadas a impactos em direitos humanos registradas, processadas e solucionadas por meio de mecanismo formal) e G4-SO11 (Número total de queixas sobre impactos na sociedade identificadas, endereçadas e resolvidas por mecanismos formais de queixas) podem ser aprimorados. A gestão dos mecanismos de queixas não está padronizada e consolidada, sendo realizada por duas áreas em unidades diferentes. É importante identificar com clareza quais as unidades são atendidas pelos canais de queixas disponíveis, bem como garantir o alinhamento entre os diferentes canais disponíveis para o registro e controle das manifestações recebidas, por meio de procedimentos claros e padronizadas.

Considerações Finais

Destacamos os esforços aplicados pela Klabin no processo de relato de sustentabilidade, utilizando as diretrizes GRI G4, aplicando a opção de acordo Essencial. Na visão da BSD Consulting, a Klabin está estruturando sua gestão da sustentabilidade por meio de práticas de engajamento com stakeholders e desenvolvimento local nas áreas de impactos das unidades no Paraná e vem fortalecendo seu modelo de governança de Sustentabilidade, através da Comissão e Comitê de Sustentabilidade, bem como a criação do Comitê do Clima. Ressalta-se a importância de avançar na aderência as diretrizes GRI G4 e no aprofundamento dos temas relevantes, por meio de um processo de avaliação de limites e impactos, assim como o relato de metas referentes aos aspectos materiais no relatório. O Relatório de Sustentabilidade 2015 demonstra compromissos da Klabin por meio de seu modelo de gestão da sustentabilidade, e há oportunidade de ampliar a visão sobre os riscos e impactos de sustentabilidade, contribuindo para um relato transparente e equilíbrio das informações

São Paulo, 23 de maio de 2016.

BSD Consulting - Brasil

BSD Consulting - Brasil

Voltar ao topo

Como se organiza o relatório

Este relatório está estruturado em quatro capítulos principais: Excelência, Sustentabilidade, Inovação e Visão de Futuro. Esses tópicos correspondem, na nossa visão, a quatro atributos que definem a organização ao longo de uma história de 117 anos.

Excelência
Inovação
Sustentabilidade
Visão de futuro

Em todos os capítulos, também são evidenciados os assuntos que têm relação com os nove temas materiais contemplados na Matriz de Materialidade. Eles tratam dos aspectos mais relevantes das atividades da Klabin levantados em uma consulta aos principais públicos de relacionamento da empresa. Ícones específicos para cada tema material identificarão os momentos em que eles surgem em cada capítulo.

Os indicadores financeiros citados dizem respeito a todas as unidades operacionais da Klabin no Brasil e na Argentina. Já as informações sociais e ambientais englobam apenas as operações em território nacional. [G4-17]

As demonstrações contábeis, auditadas pela Pricewaterhouse Coopers, seguem os padrões brasileiros e as normas do International Financial Reporting Standards (IFRS), como determinam as instruções 457/07 e 485/10 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Eventuais revisões de dados publicados em anos anteriores estão sinalizadas e esclarecidas no corpo do Relatório. As informações contidas nesta publicação foram submetidas à verificação de auditores independentes da BSD Consulting. [G4-33]

Voltar ao topo

Mudanças significativas no período coberto pelo relatório [G4-13]

Quanto às operações da Klabin, em fevereiro de 2015 tivemos o início de operações da máquina de reciclados de 110 mil toneladas na Unidade Goiana (PE), bem como desgargalamentos nas Unidades Piracicaba e Angatuba (SP). Além disso, ao longo do ano, as obras do Projeto Puma avançaram conforme o previsto e, em março de 2016, a nova unidade produziu seu primeiro fardo de celulose. Em relação às alterações na posição acionária, as mais relevantes podem ser verificadas no item 18 das demonstrações de 2015, conforme tabela abaixo:

Patrimônio Líquido

Capital social

O capital social da Klabin S.A., subscrito e integralizado, em 31 de dezembro de 2015 está dividido em 4.732.629.090 ações (4.729.789.565 em 31 de dezembro de 2014), sem valor nominal, correspondente a R$ 2.383.104 em 31 de dezembro de 2015 (R$ 2.271.500 em 31 de dezembro de 2014), assim distribuído:

Acionistas 31/12/2015 31/12/2014
Ações ordinárias Ações preferenciais Ações ordinárias Ações preferenciais
BNDESPAR 49.425.928 197.703.712 65.960.320 263.841.280
The Bank of New York Department 57.891.204 231.564.816 55.552.238 222.208.952
Capital World Investors 63.474.000 253.896.000 - -
Monteiro Aranha S/A 70.290.789 281.163.156 65.965.831 263.863.324
Klabin Irmãos e Cia. 941.837.080 - 941.837.080 -
Niblak Participações S/A 142.023.010 - 142.023.010 -
Outros 493.234.594 1.795.207.301 547.153.721 2.010.883.809
Ações em Tesouraria 30.983.500 123.934.000 30.100.000 120.400.000
  1.849.160.105 2.883.468.985 1.848.592.200 2.881.197.365

Além das ações ordinárias e preferenciais nominativas, a companhia negocia certificados de depósito de ações, denominados “Units”, correspondentes ao lote de 1 (uma) ação ordinária – ON e 4 (quatro) ações preferenciais – PN.

O capital autorizado da companhia é de 5.600.000.000 de ações nominativas ordinárias – ON e/ou nominativas preferenciais – PN, aprovado na Assembleia Geral Extraordinária de 20 de março de 2014.

Este relatório está disponível nas seguintes versões:

Comentários, críticas ou sugestões a respeito deste documento devem ser enviados ao e-mail rs@klabin.com.br. [GRI G4-31]

Voltar ao topo

A Materialidade

Os temas materiais

Competitividade e resultados econômicos Competitividade e resultados econômicos
Meio ambiente Meio ambiente
Abastecimento de madeira
Promoção do desenvolvimento local e relacionamento com comunidades Promoção do desenvolvimento local e relacionamento com comunidades
Expansão dos negócios Expansão dos negócios
Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos
Pesquisa, desenvolvimento e inovação Pesquisa, desenvolvimento e inovação
Certificações Certificações
Satisfação dos clientes e qualidade do produto Satisfação dos clientes e qualidade do produto

A matriz de materialidade foi elaborada com o auxílio de uma consultoria externa e envolveu seis etapas:

1 Identificação de temas relevantes a partir da avaliação de documentos, pesquisas e relatórios internos e externos
2 identificação e priorização dos públicos estratégicos pela comissão de sustentabilidade
3 consultas e priorização dos temas de acordo com indicações dos públicos consultados
4 análise dos resultados
5 validação dos resultados pela comissão de sustentabilidade e pela alta gestão da klabin, levando em conta o alinhamento das informações coletadas com a estratégia da companhia
6 relatório final, detalhando o processo de materialidade e relacionando os resultados com as diretrizes da GRI G4

A Materialidade atual, com os temas apontados como relevantes para a gestão da sustentabilidade da empresa em curto, médio e longo prazos, foi elaborada em 2014, com a consulta a vários públicos com os quais nos relacionamos. Apesar de o tema “Satisfação dos clientes e qualidade do produto” já ter sido inicialmente elencado como material, a gestão decidiu postergar sua inclusão na Matriz para este relato, em função da criação da nova Diretoria de Planejamento Comercial. Para a definição da Materialidade, foram ouvidos diretores da companhia e especialistas externos, em entrevistas presenciais, digitais ou telefônicas; colaboradores, clientes, fornecedores, investidores e outros públicos, por meio de dinâmicas de grupo e questionários online. Além disso, foram consultados líderes comunitários, apicultores, fomentados e representantes do Poder Público local, em visitas de campo a unidades da companhia no Paraná, em Santa Catarina e em Pernambuco. Ao longo desse trabalho, registraram-se mais de mil respostas e/ou interações. [G4-18, G4-24, G4-25]

A partir da Materialidade, viu-se a necessidade de definir indicadores de sustentabilidade relacionados a objetivos estratégicos que ajudassem na avaliação da gestão dos temas materiais. Esse trabalho foi realizado em 2015, compondo a Estratégia de Sustentabilidade da Klabin. A partir do resultado de 23 entrevistas com gestores e colaboradores das unidades de negócios e das áreas corporativas e na análise de documentos internos, benchmarking do setor e referências globais, foram elaborados objetivos estratégicos de sustentabilidade para cada unidade de negócio, que formaram a base da Estratégia de Sustentabilidade da Klabin.

(Saiba mais sobre essa estratégia no Capítulo Sustentabilidade).

O próximo ciclo da Materialidade contemplará outras unidades que ainda não contaram com consultas presenciais e passará por revisões anuais e eventuais atualizações a partir das demandas interna e externa. [G4-24, G4-25]

TEMAS MATERIAIS E ASPECTOS GRI

Aspecto GRI material [G4-19, G4-20, G4-21, G4-27] Tema material associado Aspecto material dentro da organização Aspecto material fora da organização
Desempenho econômico Competitividade e resultados econômicos Sim (todas as operações) Sim (clientes, especialistas, fornecedores, investidores e mídia)
Presença no mercado Promoção do desenvolvimento local Sim (todas as operações) Sim (comunidade, especialistas, fornecedores e Poder Público)
Impactos econômicos indiretos Promoção do desenvolvimento local Sim (todas as operações) Sim (comunidade, especialistas, fornecedores e Poder Público)
Práticas de compras Abastecimento de madeira Sim (todas as operações) Sim (fornecedores e investidores)
Energia Meio ambiente Sim (todas as operações) Não
Água Meio ambiente Sim (todas as operações) Sim (especialistas)
Biodiversidade Meio ambiente Sim (todas as operações) Sim (comunidade e especialistas)
Efluentes e resíduos Meio ambiente Sim (todas as operações) Sim (especialistas)
Avaliação ambiental de fornecedores Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Mecanismos de queixas e reclamações relativas a impactos ambientais Promoção do desenvolvimento local Sim (todas as operações) Sim (comunidade, especialistas, fornecedores e Poder Público)
Saúde e segurança no trabalho Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos Sim (todas as operações) Sim (clientes e fornecedores)
Avaliação de fornecedores em práticas trabalhistas Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Liberdade de associação e negociação coletiva Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Trabalho infantil Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Trabalho forçado ou análogo ao escravo Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Avaliação Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Avaliação de fornecedores em direitos humanos Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Mecanismos de queixas e reclamações relacionadas a direitos humanos Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídia)
Comunidades locais Promoção do desenvolvimento local Sim (todas as operações) Sim (comunidade, especialistas, fornecedores e Poder Público)
Concorrência desleal Expansão dos negócios Sim (todas as operações) Sim (clientes, especialistas e mídias)
Avaliação de fornecedores em impactos na sociedade Certificações Sim (todas as operações) Sim (clientes, fornecedores e mídias)
Mecanismos de queixas e reclamações relacionadas a impactos na sociedade Promoção do desenvolvimento local Sim (todas as operações) Sim (comunidade, especialistas, fornecedores e Poder Público)
Rotulagem de produtos e serviços Satisfação dos clientes e qualidade do produto Sim (todas as operações) Sim (clientes e fornecedores)
Voltar ao topo

Nossa empresa

Somos uma sociedade anônima de capital aberto e oferecemos aos mercados no Brasil e no mundo um amplo portfólio de produtos, que inclui madeira em toras, celulose, papéis e cartões para embalagens, embalagens de papelão ondulado e sacos industriais. Nossas cadeias produtivas são integradas: plantamos florestas de pínus e eucalipto que fornecem a madeira para a produção da celulose a ser empregada na manufatura de nossos papéis e de nossas embalagens ou vendida a clientes externos. O cuidado com as áreas produtivas se estende às florestas nativas, sendo que mais de 40% de nossa área florestal é destinada à preservação da fauna e da flora originais e à conservação dos recursos hídricos. [G4-4, G4-7, G4-8]

Com 117 anos de história, somos a maior produtora e exportadora de papéis para embalagem do Brasil e somos líderes em todos os segmentos de mercado em que atuamos no País. Em 2016, com o início das operações da Unidade Puma, em Ortigueira (PR), a Klabin passa a comercializar celulose de fibra curta, celulose de fibra longa e celulose fluff, produzidas em uma fábrica inteiramente projetada para essa finalidade. Mais do que uma fabricante de celulose, a companhia oferece soluções em fibras que atendem a todas as necessidades dos clientes, dando a eles a oportunidade de concentrar suas negociações em uma única empresa, simplificando o processo de compra e reduzindo o risco cambial. [G4-13]

Construímos uma organização dedicada...

... a promover a sustentabilidade de suas operações. Adotamos de forma pioneira a proteção de florestas nativas e técnicas de manejo florestal responsáveis com relação ao meio ambiente; fomos a primeira empresa do setor no Hemisfério Sul a receber a certificação FSC® (FSC-C022516) - Forest Stewardship Council®. E esse pioneirismo se mantém: em 2015, a Klabin tornou-se a primeira companhia a ser reconhecida pelo Carbon Disclosure Project (CDP) Latin America por adotar as melhores práticas de gestão do capital natural (leia mais no Capítulo Sustentabilidade).

Temos a convicção de que o respeito ao meio ambiente e as práticas de gestão socialmente responsáveis são essenciais para um crescimento integrado e sustentável e que os resultados dessas ações devem ser compartilhados com colaboradores, parceiros de negócios e comunidades das quais fazemos parte.

Acreditamos na inovação...

... Para a Klabin, fazer pesquisa, desenvolver novos produtos e explorar novos negócios são aspectos inerentes ao caminho de uma companhia que é perene por natureza. Em 2015, demos início ao maior investimento em inovação de nossa história. Até 2018, serão direcionados R$ 70 milhões a atividades e infraestrutura de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D+I). Grande parte desses recursos está voltada para a criação de um novo Centro de Tecnologia, em construção na Unidade Monte Alegre, no município de Ortigueira (PR), e que deverá ser concluído no último trimestre de 2016. Além disso, estão previstos convênios com institutos de pesquisa, aquisição de equipamentos e capacitação de pessoal.

A inovação e a tecnologia são também os melhores aliados quando se trata de moderar nossa pegada ambiental. Utilizamos racionalmente recursos como a água e reduzimos os resíduos deixados por nossas operações industriais. Sabemos que toda atividade econômica enseja efeitos ao meio ambiente e às comunidades vizinhas, razão pela qual tratamos esses impactos de forma transparente e responsável, cuidando ainda de promover o desenvolvimento local.

Para realizar esses propósitos e possibilitar a concretização de novas ações no futuro, a Klabin tem compromisso com as melhores práticas globais de sustentabilidade, aliando alta produtividade florestal, baixo custo de operação, logística eficiente e tecnologia ambiental de ponta. Um passo fundamental nesse caminho é a entrada em operação, em março de 2016, da Unidade Puma, no município de Ortigueira, no Paraná.

A nova unidade dobrará a capacidade de produção da Klabin. Trata-se de um investimento de R$ 8,5 bilhões (incluindo infraestrutura, impostos e correções contratuais) - o maior aporte privado na história do Estado do Paraná -, com capacidade de alavancar nossa atuação nos mercados interno e externo. São alguns dos desafios que temos pela frente na segunda metade de um ciclo de crescimento que se iniciou em 2011 e está planejado para dez anos. Nossos 16 mil colaboradores estão prontos para enfrentá-los. [G4-9]

Governança da sustentabilidade [G4-34]

Em 2015, reforçamos nossos mecanismos de entendimento dos desafios da sustentabilidade com a criação do Comitê do Clima da Klabin. Trata-se de um grupo de trabalho multidisciplinar encarregado de acompanhar a evolução dos estudos sobre as alterações climáticas globais, com o propósito de estimar o quanto nosso negócio pode se tornar vulnerável diante das preocupantes mudanças em curso.

Nossa estrutura de governança para a sustentabilidade é estabelecida sobre três pilares:

  • um Comitê de Sustentabilidade, no nível da Diretoria-Executiva e do Conselho de Administração, que assegura a atenção ao tema na tomada das decisões estratégicas da companhia;
  • uma Comissão de Sustentabilidade, grupo executivo de projetos relacionados ao assunto, com a presença de representantes de áreas diversas, como Supply Chain, Gente & Gestão, Meio Ambiente, Sustentabilidade Florestal, Relações com Investidores, Planejamento Estratégico, Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, e representantes de unidades de negócio;
  • Gerência de Gestão da Sustentabilidade e Comunicação, responsável pela aplicação das políticas relativas ao tema, de forma a implantar as melhores práticas operacionais, o respeito aos direitos humanos, o cumprimento de critérios éticos e legais, o desenvolvimento das comunidades e dos colaboradores e a utilização racional dos recursos naturais.
Nossas unidades de negócio [G4-8]
  • Unidade de Negócio Florestal

    É responsável pelo manejo das florestas plantadas pela Klabin, o que inclui o planejamento, o plantio e a colheita para o fornecimento de matéria-prima às nossas fábricas de papel e celulose.

  • Unidade de Negócio Celulose

    Produz celulose de fibra curta (de eucalipto), de fibra longa (de pínus) e celulose fluff. Fabricada pela primeira vez no Brasil a partir de fibra longa, a celulose fluff é um importante insumo para a produção de fraldas e absorventes descartáveis e outros produtos.

  • Unidade de Negócio Papel

    Produz papelcartão para líquidos e para as indústrias de alimentos, higiene e limpeza e eletroeletrônicos, entre outras. Sempre com tecnologia de ponta, fabrica papel kraft usado em caixas de papelão ondulado e sacos industriais, além de produzir papel reciclado.

  • Unidade de Negócio Conversão

    Converte papéis kraftliner e sack kraft em papelão ondulado e sacos industriais, utilizados pelos setores de alimentos, bebidas, hortifrutigranjeiros, de saúde, higiene pessoal, eletroeletrônicos e construção civil.

Nossa atuação [G4-6, G4-8, G4-9]

A Klabin é líder no Brasil nos mercados de:
  • Papéis e cartões para embalagem Papéis e cartões para embalagem
  • Embalagens de papelão ondulado Embalagens de papelão ondulado
  • Sacos industriais Sacos industriais
  • Madeiras em toras para serrarias e laminadoras Madeiras em toras para serrarias e laminadoras

a klabin é a única...

  • ... fornecedora de cartões para líquidos na América Latina
  • ... a produzir celulose fluff em alta escala no Brasil
  • ... no país a fornecer, simultaneamente, celuloses de fibra longa, de fibra curta e celulose fluff a partir de uma fábrica projetada para essa finalidade: a Unidade Puma
Cerca de 16 mil colaboradores diretos e indiretos Cerca de 16 mil colaboradores diretos e indiretos

Nossos Clientes

Indústrias de:

  • alimentos (leite, carnes frigorificadas e frutas);
  • saúde e higiene pessoal;
  • higiene e limpeza;
  • construção civil;
  • eletroeletrônicos.
Nossas terras:
  • 489 mil hectares de
    terras próprias*
    (área em dezembro de 2015)

*A diferença de 44 mil hectares da soma total inclui áreas de infraestrutura (estradas e benfeitorias, por exemplo) e áreas sem plantio.

  • 235 mil hectares de florestas plantadas** 235 mil hectares de florestas plantadas
  • 210 mil hectares de florestas nativas preservadas 210 mil hectares de florestas nativas preservadas

Em 2015, foram plantados 10 mil hectares em terras próprias e de terceiros, neste caso por meio do programa de fomento.

Onde estamos

A Klabin tem sede administrativa na cidade de São Paulo. Cultivamos florestas em três Estados brasileiros e mantemos hoje 16 unidades industriais, das quais 15 no Brasil - distribuídas em 7 Estados - e uma na Argentina. Temos ainda escritórios comerciais em oito Estados do Brasil, uma filial nos Estados Unidos e representantes e agentes comerciais em vários países. [G4-5, G4-6, G4-9]

  • Florestal
    • Alto Paranapanema (SP)
    • Alto Vale do Itajaí (SC)
    • Campos Gerais (PR)
    • Planalto Catarinense (SC)
    • Planalto Guarapuava (PR)
    • Vale do Corisco (PR)
  • Celulose de fibra curta
    Celulose de fibra longa
    Celulose Fluff
    • Ortigueira (PR)
  • Papéis para embalagem
    • Angatuba (SP)
    • Correia Pinto (SC)
    • Otacílio Costa (SC)
    • Telêmaco Borba (PR)
  • Sacos industriais
    • Goiana (PE)
    • Lages (SC)
    • Pilar (Argentina)
  • Papéis reciclados
    • Goiana (PE)
    • Piracicaba (SP)
  • Embalagens de papelão ondulado
    • Goiana (PE)
    • Feira de Santana (BA)
    • Betim (MG)
    • Jundiaí (SP)
    • Piracicaba (SP)
    • Itajaí (SC)
    • São Leopoldo (RS)

Exportações

A Klabin exporta seus produtos para mais de 60 países de todos os continentes. [G4-8]

Exportações

Diretoria e Conselho de Administração [G4-34]

Diretoria Estatutária

  • Fabio Schvartsman Diretor-Geral
  • Antonio Sergio Alfano Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
  • Francisco César Razzolini Diretor de Projetos e Tecnologia Industrial
  • Arthur Canhisares Diretor Industrial de Papéis
  • Cristiano Teixeira Diretor-Executivo de Conversão
  • Eduardo de Toledo Diretor de Supply Chain

Klabin Argentina

  • Douglas Dalmasi Presidente
  • Julio Alfredo Vieito Vice-Presidente
  • Luis Matías Ponferrada Diretor Titular
  • Hernán Martín Oriolo Diretor Suplente

Diretoria Não-Estatutária

  • Adriano Canela Diretor de Planejamento Comercial
  • Douglas Dalmasi Diretor de Sacos Industriais
  • Edgard Avezum Junior Diretor Comercial de Cartões
  • Gabriella Michelucci Diretora de Papelão Ondulado
  • José Artêmio Totti Diretor Florestal
  • José Soares Diretor Comercial de Celulose
  • Sergio Piza Diretor de Gente & Gestão
  • Sadi Carlos de Oliveira Diretor Industrial de Celulose

Relações com investidores

  • Antonio Sergio Alfano Diretor
  • Tiago Brasil Rocha Gerente
  • Daniel Rosolen Coordenador

Composição do Conselho de Administração*

Membros efetivos Membros suplentes
Armando Klabin José Klabin
Celso Lafer Reinoldo Poernbacher
Daniel Miguel Klabin Amanda Klabin Tkacz
Paulo Sérgio Coutinho Galvão Filho Graziela Lafer Galvão
Israel Klabin Alberto Klabin
Roberto Klabin Martins Xavier Lilia Klabin Levine
Luis Eduardo Pereira de Carvalho Vivian do Valle Souza Leão Mikui
Pedro Franco Piva Eduardo Lafer Piva
Roberto Luiz Leme Klabin Marcelo Bertini de Rezende Barbosa
Sérgio Francisco Monteiro de Carvalho Guimarães Olavo Egydio Monteiro de Carvalho
Rui Manuel de Medeiros D’Espiney Patrício Joaquim Pedro Monteiro de Carvalho Collor de Mello
Vera Lafer Francisco Lafer Pati
Helio Seibel Matheus Morgan Villares
*Composição do Conselho de Administração vigente em 2016.
Voltar ao topo
Participação setorial [G4-16]
Entidade Participação em órgãos de governança Participação em comitês
Associações e sindicatos
Indústria Brasileira de Árvores (IBÁ) Membro titular Comitê de Certificação;
Comitê de Mudanças do Clima
Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO) Vice-presidência Grupo Mercado de Aparas;
Grupo Tributário
Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP) Vice-presidência
Associação dos Usuários SAP do Brasil (ASUG Brasil) Coordenação Grupo Business Intelligence
Sindicato das Indústrias de Papel e Celulose do Paraná Diretoria (suplência)
Sindicato da Indústria de Papelão do Estado de São Paulo (Sinpesp) Presidência
Sindicato da Indústria do Papel, Celulose e Pasta de Madeira para Papel no Estado de São Paulo (SIP/SP) Conselho de Administração
Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal (Apre) Vice-presidência
Associação Paulista de Produtores de Florestas Plantadas (Florestar São Paulo) Vice-presidência
Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR) Vice-presidência
Entidades de pesquisa
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) Núcleo de Assessores em Tecnologia e Inovação
Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais (IPEF) Conselho Deliberativo;
Membro titular
Grupo de empresas florestais em parceira com Universidade de São Paulo (USP);
Programa Cooperativo de Certificação Florestal
Outras entidades
Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Canoas Conselho Consultivo
Comitê da Bacia do Rio Tibagi Membro titular
Movimento Empresarial pela Biodiversidade Comitê de Comunicação
World Containerboard Organisation (WCO) Diretoria
International Corrugated Case Association (ICCA) Diretoria
Instituto de Pesquisa Innventia Cluster Fiber Stock and Product Optimization (estoque de fibras e otimização de produtos)
Cooperativa Central American and Mexico Coniferous Resources (Camcore), Carolina do Norte (EUA) Conselho Científico Membro de consórcio de pesquisas e estudos para pínus
Sociedade de Investigação Florestal (SIF) Conselho Deliberativo Grupo de empresas florestais em parceira com Universidade Federal de Viçosa
FSC International Membro titular Policy and Standards Committee (PSC)
Diálogo Florestal – Fórum PR/SC Membro titular
Diálogo Florestal – Fórum SP Conselho de Coordenação
Diálogo Florestal Nacional Conselho de Coordenação
The Forests Dialogue Membro titular; Leader;
Advisory Board
Steering Committee;
Executive Team;
Tree Plantations in Landscape; Land Use Dialogue
Parcerias em pesquisa no exterior
Forest Productivity Cooperative (FPC) North Carolina State University;
Universidade de Toronto; Lund – Universidade da Suécia
Voltar ao topo

Nosso compromisso com as pessoas e os negócios

A excelência se traduz no compromisso com os nossos acionistas, com o mercado, com os nossos colaboradores, com as comunidades próximas às nossas unidades e com o meio ambiente. Em nome desse compromisso, estamos constantemente aprimorando nossos processos, pautados nas melhores práticas globais de sustentabilidade. Assim, de forma disciplinada, fazemos uma gestão que alia elevada produtividade florestal, baixo custo, logística eficiente e tecnologia ambiental. Temos ousadia na medida, capacidade de realização e compromisso com o desenvolvimento sustentável. Neste capítulo, trataremos de quatro dos temas de nossa Matriz de Materialidade que são considerados cruciais para a excelência da Klabin e o reconhecimento desse atributo na empresa e pelo mercado.

Voltar ao topo

Competitividade e resultados econômicos

O ano de 2015 foi desafiador, exigindo persistência, foco e flexibilidade na tomada de decisão. Fatores diversos se combinaram para criar um cenário que afetou, em maior ou menor grau, diversos setores. No que diz respeito à economia, houve desaceleração do consumo no mercado interno e aumento da inflação, produzindo reflexos nos custos de produção das empresas que atuam no País. Por outro lado, a forte desvalorização do real e as condições econômicas menos adversas nos mercados internacionais favoreceram as exportações.

A Klabin respondeu a esse contexto aumentando as vendas de papéis e cartões no mercado externo, um movimento respaldado pela qualidade e pela competitividade de nossos produtos e principalmente pela flexibilidade e pela resiliência de nosso modelo de negócio. O resultado foi um crescimento no volume de produto exportado e na receita líquida, possibilitando o 18º trimestre consecutivo de crescimento do Ebitda.

Destaques de 2015 [G4-9]

  • Receita líquida

    R$ 5.688 MI

    No ano de 2015, a receita totalizou R$ 5.688 milhões, também 16% acima do obtido em 2014.

  • volume exportado

    15% de aumento

    O volume de vendas para o mercado externo atingiu 627 mil toneladas no ano de 2015, comprovando a flexibilidade da Klabin em um cenário de enfraquecimento da economia brasileira.

  • Ebitda ajustado

    R$ 2,0 BI

    Em 2015, o Ebitda ajustado somou R$ 1.975 milhões, 15% acima de 2014.

  • Investimentos

    R$ 4,6 BI

    Com a aceleração dos desembolsos referentes ao Projeto Puma, o total investido em 2015 foi de R$ 4.627 milhões, sendo R$ 4.053 milhões destinados ao Projeto Puma.

  • Projeto puma

    95% de execução

    Ao final de 2015, as obras da nova fábrica de celulose da Klabin contavam com avanço físico de 95% e 77% de desembolsos financeiros haviam sido realizados. O início das operações está previsto para março de 2016.

Solução completa em fibras

O ano de 2015 representou a reta final do Projeto Puma, o maior investimento da história da companhia, da ordem de R$ 8,5 bilhões, incluindo infraestrutura, impostos e correções contratuais. A nova unidade produziu seu primeiro fardo de celulose no dia 4 de março de 2016, marcando uma das principais conquistas do ciclo de crescimento de dez anos que iniciamos em 2011. Com isso, a Klabin inclui em seu portfólio a comercialização de celulose de fibra curta, celulose de fibra longa e celulose fluff, oferecendo, de forma pioneira, uma solução completa em fibras. Somos a primeira empresa do Brasil a fabricar celulose fluff, a partir de fibra longa de pínus, o que abre ao mercado nacional a possibilidade de substituir a importação dessa matéria-prima.

Principais resultados em 2015

Valor econômico direto gerado e distribuído [G4-EC1]

R$ milhões 2015 2014 2015/2014
Volume de vendas (mil t) 1.833 1.771 3%
Mercado interno 1.205 1.227 -2%
Exportação 627 545 15%
% Mercado interno 66% 69% -3 p.p.
Receita bruta 6.746 5.900 14%
Receita líquida 5.688 4.894 16%
Mercado interno 3.841 3.679 4%
Exportação 1.846 1.215 52%
% Mercado interno 68% 75% -7 p.p.
Variação do valor justo dos ativos biológicos 536 924 -42%
Custo dos produtos vendidos (3.982) (3.574) 11%
Lucro bruto 2.242 2.244 0%
Margem bruta 39% 46% -7 p.p.
Vendas (429) (380) 13%
Gerais & administrativas (338) (298) 13%
Outras rec. (desp.) oper. (13) 85 n/a
Total despesas operacionais (780) (593) 31%
Ebitda ajustado 1.975 1.718 15%
Margem Ebitda ajustado 34% 35% -1pp
Lucro líquido (1.253) 730 n/a
Endividamento líquido 12.411 5.242 137%
Endividamento líquido/Ebitda ajustado 3,1x 3,0x

Notas: Algumas cifras dos quadros e gráficos apresentados poderão não expressar um resultado preciso em razão de arredondamentos.
A margem Ebitda ajustado é calculada sobre a receita líquida pró-forma, que inclui a receita da Vale do Corisco.

Em 2015, a Klabin gerou mais de R$ 6 bilhões em receitas. O valor econômico foi distribuído conforme a seguir:
2015 % 2014 %
Valor econômico distribuído gerado (em R$ milhões)
Receita bruta 6.746 5.900
Valor econômico direto gerado (em R$ milhões)
Custos operacionais (3.487) -6,31 (3.088) -4,40
Salários e benefícios de empregados 927 1,68 81 1,17
Pagamento aos fornecedores 4,41 7,99 1,27 1,81
Pagamentos ao governo (50) -0,09 96 1,38
Acionistas (dividendos, juros sobre o capital próprio, lucros retidos) (1.253) -2,27 730 1,04
Total 551 1,00 703 1,00

Resultado operacional [G4-EC1]

A geração operacional de caixa (Ebitda ajustado) atingiu R$ 1.975 milhão em 2015, o melhor resultado histórico da companhia e 15% superior ao do ano anterior.

O volume de vendas (excluindo madeira) foi de 1.883 mil toneladas, um ganho de 3% sobre o de 2014. O volume exportado no ano, de 627 mil toneladas, passou a representar 34% das vendas totais, 3 pontos percentuais a mais do que no ano anterior.

A receita líquida (incluindo madeira) foi de R$ 5.688 milhões. O resultado, 16% superior ao de 2014, é reflexo do mix de produtos e mercados da Klabin, bem como do aumento das exportações com câmbio mais favorável, em particular no segundo semestre do ano. A receita de exportações foi de R$ 1.846 milhões no ano, um aumento de 52% sobre 2014.

O custo caixa unitário*, incluindo despesas com vendas gerais e administrativas, foi de R$ 2.048 por tonelada. Excluídos efeitos não recorrentes, o custo caixa unitário foi de R$ 2.041 por tonelada, valor 10% superior ao verificado em 2014. Essa variação reflete principalmente o aumento nos preços de energia elétrica, químicos e combustíveis, que foram substancialmente superiores ao índice de preços oficial. Os esforços de redução de custos da companhia e o maior volume de vendas diluíram parcialmente os custos fixos e compensaram em parte a inflação de insumos e a taxa de câmbio mais alta no período.

O efeito líquido não caixa referente ao valor justo dos ativos biológicos (variação do valor justo das florestas subtraído da exaustão) no Ebitda foi positivo em R$ 69 milhões, comparado a R$ 310 milhões em 2014. A variação se deve em grande parte ao menor aumento nos preços utilizados na avaliação em 2015 em relação ao aumento verificado em 2014.

As despesas com vendas em 2015 foram de R$ 429 milhões, 13% acima das de 2014, em razão do crescimento da receita líquida e do maior volume exportado. Ainda assim, as despesas com vendas no ano representaram 7,5% da receita líquida, em linha com o observado no ano anterior. As despesas gerais e administrativas totalizaram R$ 338 milhões em 2015, 13% superiores às de 2014. Esses índices foram impactados por dissídios, despesas extraordinárias de indenizações e pelo início da formação das equipes que atuarão no novo negócio de celulose.

*Todo custo que a empresa gasta de forma direta para fabricar 1 tonelada de um produto.

Resultado financeiro

O endividamento bruto consolidado ao final do ano era de R$ 18.022 milhões, sendo R$ 2.084 milhões (12% da dívida bruta) no curto prazo. O aumento do endividamento bruto em 2015 foi feito por meio da contratação de linhas de longo prazo e a custos competitivos, com a finalidade de garantir os recursos necessários para o investimento no Projeto Puma, além de garantir liquidez em um ano marcado por grande instabilidade econômica.

O caixa e as aplicações financeiras em 31 de dezembro de 2015 somavam R$ 5.611 milhões, valor estável se comparado ao do final de 2014, mesmo com os desembolsos efetuados em 2015 para a construção da nova fábrica de celulose. A estabilidade foi mantida graças à contratação de financiamentos para o funding do Projeto Puma e à forte geração de caixa operacional da companhia.

O endividamento líquido consolidado totalizou R$ 12.411 milhões, afetado principalmente pelos investimentos no Projeto Puma e pelo impacto da variação cambial ao longo de 2015 na parcela da dívida em dólares americanos, que representava 69% do endividamento total ao final do ano. A forte desvalorização do real diante do dólar americano em 2015 afetou a relação dívida líquida/Ebitda ajustado em 1,4 vez. Dessa forma, o indicador encerrou o ano de 2015 em 6,3 vezes, ante 3,1 vezes no final de 2014.

É ́importante ressaltar que, além de a Klabin não possuir nenhum covenant* financeiro vinculado às suas dívidas, esse efeito da variação cambial é puramente contábil e impacta, em sua grande maioria, os financiamentos de pré-pagamento de exportação, não vinculados ao Projeto Puma e já lastreados em futuras exportações da Klabin.

*Covenant é uma restrição legal imposta nos contratos de emissão de títulos, ou financiamento, nos quais o tomador de crédito tem suas atividades restritas e cujo objetivo é dar mais segurança ao financiador.

Resultado líquido

O resultado líquido foi influenciado, por um lado, positivamente pela boa geração de caixa em 2015 e, por outro, pelo impacto não caixa na dívida da apreciação do dólar americano em relação ao real, totalizando um resultado negativo de R$ 1.253 milhões no ano, versus R$ 730 milhões de resultado positivo em 2014.

Investimentos

R$ milhões 2015 2014
Florestal 97 102
Continuidade operacional 348 282
Projetos especiais 59 74
Expansão 71 245
Projeto Puma 4.053 2.242
TOTAL 4.628 2.945

Em 2015, a Klabin investiu o total de R$ 4,6 bilhões, dos quais R$ 4 bilhões foram destinados ao Projeto Puma, o maior investimento de sua história, no qual trabalharam, em grande parte do período, mais de 12 mil colaboradores - esforço coroado pela entrada em operação da unidade em março de 2016. A Klabin realizou seu maior projeto de expansão exatamente de acordo com o cronograma e o orçamento definidos.

Além da nova planta de celulose, R$ 348 milhões foram destinados à continuidade operacional das fábricas, R$ 97 milhões foram empregados nas operações florestais e R$ 59 milhões foram aplicados em projetos especiais e na finalização da expansão da capacidade de papéis e cartões.

No início de 2015, teve início a produção da nova máquina de reciclados em Goiana (PE), que adicionou 110 mil toneladas anuais à capacidade de papéis reciclados da Klabin. Além disso, foi concluída a reforma para o aumento de capacidade na fábrica de Piracicaba (SP), que adicionou 15 mil toneladas de produção à unidade. [G4-13]

Mercado de capitais

Em 2015, as Units da Klabin (KLBN11) tiveram valorização de 61%, ante uma desvalorização de 13% do Ibovespa. As Units da companhia foram negociadas em todos os pregões da BM&FBovespa, registrando 1,2 milhão de operações que envolveram 794 milhões de títulos e um volume médio diário negociado de R$ 63 milhões ao final do ano.

O capital social da Klabin é representado por 4.733 milhões de ações, das quais 1.849 milhões são ações ordinárias e 2.884 milhões são ações preferenciais. As ações da Klabin também são negociadas no mercado norte-americano como ADRs (American Depositary Receipt, ou Recibos de Depósitos Americanos) Nível I, e os títulos são listados no OTC (over-the-counter), mercado de balcão, sob o código KLBAY.

Diferenciais para investidores

A Klabin manteve, em 2015, o grau de investimento (Investment Grade) na categoria BBB - na escala global pelas agências de avaliação Standard & Poor's e Fitch Ratings. Essas instituições reconheceram - em um ano no qual o Brasil perdeu seu rating soberano de grau de investimento - o alto nível de liquidez da companhia, sua forte posição de caixa e o endividamento adequado para fazer frente à execução do Projeto Puma, bem como a esperada solidez do negócio e dos futuros resultados após a conclusão do projeto.

A companhia continua a integrar o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBovespa). A nova carteira, que entrou em vigor em 4 de janeiro de 2016, reúne ações de 35 companhias que se destacam pelo alto grau de comprometimento com a sustentabilidade dos negócios e do Brasil. Essa conquista reforça um compromisso histórico da Klabin com o desenvolvimento sustentável, atestado pelo pioneirismo da empresa nas certificações do setor de celulose e papel e no manejo da biodiversidade.

Em 2015, a Klabin também foi reconhecida, pelo Carbon Disclosure Project (CDP), como a companhia que possui a Melhor Prática de Gestão do Capital Natural.

(saiba mais em Reconhecimentos, neste capítulo).

Em 2015 a Klabin recebeu R$ 100 milhões de ajuda financeira do governo brasileiro entre benefícios e créditos fiscais e subvenções para investimentos, pesquisa e desenvolvimento. A empresa não recebeu assistência financeira referente a subsídios, prêmios, royalty holidays e ajuda de agências de crédito à exportação.

O governo brasileiro não está na estrutura acionária da Klabin. [G4-EC4]

Valor monetário total da ajuda financeira recebida do governo brasileiro [G4-EC4]

(em R$) 2015 2014
Benefícios e créditos fiscais R$ 69.000.000 R$ 49.000.000
Subvenções para investimentos, pesquisa e desenvolvimento e outros tipos relevantes de concessões R$ 31.000.000 R$ 16.107.000
Incentivos financeiros - R$ 4.640.515,60
Total R$ 100.000.000 R$ 69.747.515,60

Desempenho dos negócios

Unidade de Negócio Florestal

Nossa unidade Florestal produziu, em 2015, aproximadamente 10,9 milhões de toneladas de toras e cavacos de pínus e de eucalipto e resíduos para energia. Desse total, 3,2 milhões de toneladas foram vendidas para serrarias e laminadoras; o restante foi transferido para nossas fábricas no Paraná, em Santa Catarina e em São Paulo. Em comparação com 2014, o volume de vendas de toras para terceiros cresceu 12% no ano - em parte, um efeito da taxa de câmbio mais alta ao longo de 2015, impulsionando as vendas para os clientes exportadores de produtos de madeira. O maior volume comercializado impactou a receita líquida com vendas de madeira em 2015, que atingiu R$ 362 milhões - 9% acima do resultado de 2014.

Saiba mais sobre esta unidade de negócio em A Klabin.

Unidade de Negócio Papéis

Em 2015, a Klabin adotou a estratégia bem-sucedida de dirigir para o mercado externo a produção de cartões por efeito da crise econômica e da retração do mercado interno. O volume de vendas de papéis para embalagens e cartões revestidos em 2015 foi de 1.103 mil toneladas, 8% superior ao de 2014, dadas as maiores capacidades em papéis e cartões e ao crescimento das exportações desses produtos.

Os projetos de adição de capacidade de papéis e cartões iniciados em 2012 foram concluídos no primeiro semestre de 2015. As reformas para desgargalamento nas fábricas de Angatuba e Piracicaba (SP) adicionaram 50 mil toneladas de produção de papéis para caixas; a nova máquina de papéis reciclados em Goiana (PE) adicionou outras 110 mil toneladas. No final de 2015, esses ativos já operavam com capacidade total. A Máquina 9 de cartões em Monte Alegre (PR), cuja reforma havia sido realizada em 2014, também encerrou o ano com seu nível de produção pleno, elevando o volume vendido de cartões em 2015. O maior volume disponível após esse aumento de capacidade e a taxa de câmbio média mais favorável para as exportações no período resultaram em uma receita líquida de R$ 2.954 milhões, 29% maior do que no ano anterior. [G4-13]

  • Cartões

    Vale ressaltar a ampliação do volume comercializado no Brasil, apesar da retração do mercado interno. O maior crescimento, no entanto, foi observado nas exportações. O câmbio favorável e os mercados externos menos retraídos permitiram a obtenção de margens maiores na comparação com 2014. Com esse mix de negociação, a receita líquida das vendas totais de cartões revestidos alcançou R$ 2.096 milhões, um crescimento de 26% em relação ao ano anterior. Com maior disponibilidade de produção, as vendas de cartões da Klabin cresceram 8% em 2015, totalizando um volume vendido de 685 mil toneladas. Um caso a ser notado foi o das embalagens de cartão para packs de cerveja: substituídos por embalagens plásticas há algum tempo, os packs de cartão voltaram ao mercado como elemento de diferenciação para cervejas premium, uma tendência que ajudou a reforçar a demanda por nossos produtos.

  • Kraftliner

    O volume de vendas de kraftliner e de sack kraft da Klabin cresceu 8% em relação a 2014 e totalizou 418 mil toneladas, impulsionado principalmente pela capacidade adicional das fábricas de papel e pelas exportações. Nossa flexibilidade permitiu aumentar o volume direcionado aos mercados externos, aproveitando um cenário de câmbio médio mais alto do que em 2014 e mercados desaquecidos no Brasil. Em adição à taxa de câmbio mais favorável, o preço médio de kraftliner aumentou 4% (preço em euros divulgado pela companhia FOEX Indexes). Dessa forma, a receita líquida das vendas de kraftliner e de sack kraft alcançou R$ 858 milhões, um crescimento de 34% em relação a 2014.

    Saiba mais sobre esta unidade de negócios em A Klabin.

Unidade de Negócio Conversão

A grande retração da atividade econômica no Brasil levou a Klabin a concentrar suas vendas de papéis para embalagens nos mercados externos. Com isso, houve uma queda de 3% no volume de vendas de produtos convertidos, negociados principalmente no mercado interno, em relação a 2014, fechando 2015 com 690 mil toneladas comercializadas. Apesar da queda de volume, a receita líquida em 2015 teve um aumento de 4% em relação ao ano anterior, totalizando R$ 2.251 milhões.

O cenário da economia nacional influenciou diretamente o mercado de caixas de papelão ondulado, que não conta com a possibilidade de exportação. Além das menores vendas, a competição com as exportações de papel e a elevação de custos de energia, óleo combustível, químicos e outros insumos de produção impactaram os produtores de papelão ondulado.

No mercado de sacos industriais, a construção civil em 2015 teve o pior resultado dos últimos 12 anos no Brasil, impactando diretamente as vendas de cimento. Nesse caso, a queda na comercialização dos produtos ligados à construção civil foi minimizada pelo posicionamento da Klabin na região Nordeste, mercado com maior estabilidade em comparação com as demais regiões do País e pelo êxito na estratégia de desenvolvimento de novos mercados fora do Brasil, principalmente no México e nos Estados Unidos.

Em 2015, as exportações de sacos industriais cresceram 8% em relação a 2014, com vendas para perto de 25 países nas Américas, na África e na Europa. Nos Estados Unidos, por exemplo, entramos nos mercados de sacos industriais para farinhas alimentícias e café, que exigem certificações específicas. No Brasil, a Klabin trabalha para diversificar sua oferta desse produto, mirando os mercados de café, farinhas, fertilizantes e rações para animais.

Saiba mais sobre esta unidade de negócios em A Klabin.

Voltar ao topo

Abastecimento de madeira

Uma nova fábrica de grande porte, como a Unidade Puma, em Ortigueira (PR), significa maior demanda por madeira, a matéria-prima que move a Klabin. Nossa madeira vem, em sua maior parte, de florestas próprias, completadas pela produção que compramos de fornecedores fomentados ou independentes. O início de produção da fábrica de celulose da Unidade Puma, ocorrido em março de 2016, vai levar a Klabin a alcançar um marco operacional inédito:

  • em 2016
    serão necessárias mais de
    300 mil viagens de caminhão
    entre as florestas e as fábricas para abastecer de madeira as linhas de produção da Klabin
  • em 2015 foram feitas
     
    137.293 viagens para o
    abastecimento de madeira
  • maior operação florestal do mundo em um único site

O volume de madeira produzido no Paraná vai aumentar em mais do que o dobro para garantir a operação da nova fábrica - em uma projeção para a Unidade Puma em pleno funcionamento em 2016 - e serão necessários cerca de 2,5 milhões de toneladas de madeira de eucalipto e 1,2 milhão de toneladas de madeira de pínus.

Garantir esse fluxo demanda planejamento em médio e longo prazo tanto na formação das florestas necessárias quanto na seleção e no treinamento das pessoas que vão ocupar os postos de trabalho criados. Para colher e transportar toda essa madeira, começamos a nos preparar com antecedência: em 2015 e até o começo de 2016, mais de 200 operadores de máquinas de colheita passaram por cursos de formação em um Centro de Treinamento Florestal criado pela Klabin. Além deles, mais de 180 motoristas de caminhão foram formados em uma parceria em cooperação com o Serviço Nacional de Aprendizagem dos Transportes (Senat) em Telêmaco Borba (PR).

Somados a colaboradores treinados desde 2014, esses trabalhadores integram os times de cerca de 620 operadores e 500 motoristas necessários para a colheita e o transporte da matéria-prima até a Unidade Puma. A madeira própria vem de florestas plantadas a uma distância média de 72 quilômetros da nova fábrica, o que reduz o custo logístico e reforça a competitividade da nossa operação industrial. Cumprida sua missão inicial, o Centro de Treinamento Florestal continuará ativo no aperfeiçoamento profissional dos operadores e no treinamento de Supply

Relacionamento com fornecedores

A cadeia de fornecedores da Klabin é gerenciada pela Diretoria de Supply Chain, responsável pelo fluxo de materiais e pelo monitoramento dos níveis de estoque da empresa. Ela conta com quatro gerências: Suprimentos, que cuida da aquisição de materiais, serviços, insumos e investimentos necessários ao abastecimento de todas as unidades produtivas da companhia; Logística nacional, que faz a gestão da frota própria da Klabin e de terceiros e apoia as áreas de negócios, seja com a aquisição de serviços de logística ou com a gestão de atividades logísticas, desde a colheita das florestas e o abastecimento das fábricas até as entregas de nossos produtos aos clientes; Logística internacional, responsável pelos fluxos de importação e exportação; e Planejamento, que assegura a eficiência operacional dos negócios por meio do processo de Sales & Operation Planning, dedicando-se principalmente ao planejamento da produção. [G4-12]

A Klabin conta com aproximadamente 5 mil fornecedores ativos distribuídos por todo o Brasil, os quais fornecem matérias-primas como como fibras; químicos para papel e celulose; energia; prestam serviços logísticos, de gestão de materiais, armazenagem e aluguel de empilhadeiras; fornecem materiais auxiliares à produção, uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), rolamentos, bombas e prestam serviços de limpeza, segurança e manutenção, entre outras funções. Desse número total, 813 fornecedores são monitorados pela Matriz de Criticidade e Sustentabilidade, entre os quais 67% (o equivalente a 547) foram contratados nos Estados em que a Klabin possui operações. [G4-12, G4-EC9]

Em 2015, houve a contratação de 255 novos fornecedores de serviços e insumos necessários à execução do Projeto Puma, em Ortigueira (PR). Entre eles, não houve seleção e monitoramento conforme critérios preestabelecidos pela Matriz. [G4-13, G4-EN32, G4-LA14, G4-HR10]

Percentual do orçamento de compras e contratos de unidades operacionais importantes que é gasto com fornecedores locais, em 2015 (em %)
Paraná 62,9
São Paulo 52,7
Santa Catarina 50,8
Minas Gerais 28,4
Pernambuco 44,1
Rio Grande do Sul 18,8
Bahia 54,4

Em 2014, a Klabin contava com 558 fornecedores monitorados, dos quais 64% eram considerados locais. O aumento no número de fornecedores pode ser explicado pelo Projeto Puma, que ocorre no Paraná, Estado com maior contratação local da Klabin. Consideramos “local” o próprio Estado em que se localiza o fornecedor.[G4-EC9]

Nossa área de Suprimentos elaborou, em 2013, uma Matriz de Criticidade para avaliar todos os fornecedores contratados e os riscos que representam para a Klabin, do ponto de vista tanto financeiro como da sustentabilidade (não há seleção conforme esses critérios, mas eles são utilizados para avaliação de contratados e, em caso de não cumprimento, pode haver a exclusão destes do grupo de fornecedores). Para os fornecedores avaliados com alta criticidade, a Matriz define ações a ser cumpridas para mitigar os riscos identificados. Do ponto de vista da sustentabilidade, temas como condições de trabalho, gestão de saúde e segurança ocupacional, conformidades legais, comportamento ético, trabalho forçado ou análogo ao escravo, fornecimento de produtos perigosos e licenciamento ambiental são mapeados pela Matriz de Criticidade de fornecedores. Para o próximo ciclo, a área pretende aprofundar e fortalecer essa análise por meio de auditorias. Entre os fornecedores novos listados nessa matriz, 100% foram submetidos à avaliação de impacto ambiental, em direitos humanos, impactos na sociedade e em práticas trabalhistas. [G4-DMA, EN32, G4-LA14, G4-HR10, G4-SO9]

Já as unidades Florestais contam com um programa específico de avaliação dos seus fornecedores de madeira. O Programa de Madeira Controlada, que usa metodologia relacionada à certificação da cadeia de custódia do FSC®, garantiu, em 2015, 213 visitas a fornecedores de madeira certificados e não certificados em Santa Catarina e 313 visitas no Paraná.

Em relação aos prestadores de serviços, nas atividades de transporte de cargas e pessoas, manutenção mecânica, manutenção e conservação de estradas e emSERVIÇOS DAS UNIDADESpresas de consultoria, são realizadas auditorias quanto à conformidade com a legislação trabalhista e aos aspectos sociais. Quando identificadas não conformidades, é feito um plano de ação com o prestador de serviço e o devido acompanhamento. Em 2015, a área Florestal realizou 67 visitas de auditoria a todos os prestadores de serviços de São Paulo e de Santa Catarina e a 48% dos prestadores de serviços do Paraná. [G4-EN32, G4-EN33, G4-LA14, G4-LA15, G4-HR10, G4-HR11, G4-SO10]

Visitas aos prestadores de serviços das unidades florestais em 2015
Paraná São Paulo Santa Catarina
Quantidade de auditorias realizadas 29 2 36
Número de fornecedores submetidos a auditorias 29 2 10
Número de não conformidades identificadas (planos de ações gerados) 59 0 15

Atenção aos direitos humanos [G4-HR4, G4-HR5, G4-HR6]

Na Klabin, não identificamos riscos reais nem potenciais em nossas operações e em nossos fornecedores relacionados à liberdade de associação e negociação coletiva, trabalho infantil e trabalho forçado ou análogo ao escravo. Nossos esforços são voltados para não termos fornecedores que apresentam risco de trabalho forçado ou discriminação de qualquer gênero e respeitamos a liberdade sindical dos profissionais contratados por nossos prestadores de serviços. Nossos contratos de fornecimento abordam esse tema em cláusulas específicas.

Os valores e os princípios que norteiam nosso relacionamento com as populações vizinhas, bem como com outros públicos de interesse, estão descritos no Código de Conduta da Klabin, que é adotado por todos os nossos colaboradores e difundido para nossos parceiros de negócio e pode ser consultado no site www.klabin.com.br. [G4-56]

Além disso, nossa Política de Responsabilidade Social e Ambiental para a contratação de fornecedores estabelece critérios socioambientais para a homologação deles, exigindo que cumpram as obrigações trabalhistas e previdenciárias - incluindo a prevenção ao assédio sexual e moral - zelem por ações preventivas referentes à saúde e à segurança dos trabalhadores e respeitem a diversidade e o direito de livre associação de seus empregados a entidades de classe. Nossos contratos de fornecimento de serviços e de materiais abordam esse tema em cláusulas específicas.

Parceria com fomentados

Todas as nossas florestas próprias são certificadas pelo Forest Stewardship Council® (FSC®). Mas sabemos que isso não basta: se quisermos manter alta a nossa competitividade global, a madeira que compramos de produtores fomentados também deve seguir o escopo de manejo responsável de certificação. Esse reconhecimento, por exemplo, significa um atestado de que o produtor certificado trabalha com responsabilidade social e ambiental e segue padrões de manejo florestal aceitos no mundo todo.

A Klabin tem por meta certificar todos os seus fornecedores fomentados até 2018 e trabalha ativamente para ajudá-los a atingir esse objetivo. Em 2015, 77 produtores eram certificados pelo selo do FSC® no padrão SLIMF (Small and Low Intensity Managed Forests, ou “manejo florestal em pequena escala e/ou baixa intensidade”), enquanto outros 208 estavam recomendados para a certificação pelo mesmo padrão e 13 estavam certificados pelo padrão FSC® Hamonizado, levando a mais de 250 o número total de fomentados da Klabin já certificados.

Fornecedores fomentados participam do Programa Matas Legais, da Klabin, que orienta produtores florestais a se adequar ao Código Florestal e a melhorar a condição ambiental de suas propriedades.

Outra categoria de fornecedores - a dos independentes, que não mantêm nenhum vínculo com a companhia - também recebe atenção por meio de equipes da Klabin que, antes da compra da madeira e durante a operação florestal, verificam a documentação e os processos operacionais para garantir que eles atendam a todos os requisitos trabalhistas, ambientais e de segurança exigidos pela legislação de uma operação florestal. Esse é um processo também reconhecido pelo FSC®, denominado madeira controlada.

Tanto o programa de fomento florestal como o Matas Legais dão aos produtores florestais ferramentas que os auxiliam na realização do cadastro ambiental rural. Os participantes da certificação recebem informações técnicas em palestras para sanar dúvidas sobre o processo e os procedimentos necessários.

Nossas operações florestais

Mantemos
atividades em:
74 municípios
Nossas operações florestais

O futuro se constrói hoje

A área Florestal da Klabin começou a discutir em 2015 um projeto para o futuro próximo; uma visão a ser concretizada em alguns anos, sintetizada em cinco pontos que conformam nosso Propósito Florestal:

  1. 1
    Maior produtividade - queremos obter a maior produtividade das florestas no mercado mundial de papel e celulose. As unidades Florestais da Klabin já estão entre as primeiras do mundo em termos de produção de celulose por hectare plantado. Nossa meta é consolidar o primeiro lugar, aumentando a diferença em relação aos nossos concorrentes.
  2. 2
    Menor custo operacional - queremos produzir ao menor custo entre as empresas globais de papel e celulose. A baixa distância entre florestas e fábricas, aliada à alta produtividade da floresta, dá à Klabin a condição de ter o menor custo/fábrica de madeira do mundo. Com o aumento de produtividade da operação, os custos vêm sendo reduzidos nos últimos anos.
  3. 3
    Aceitação pela comunidade - trabalhamos para ser bons vizinhos e cidadãos. Esse esforço permeia grandes e pequenas ações. Nossos carros-pipa, por exemplo, umedecem as estradas por onde passam os caminhões de transporte de madeira para que não levantem poeira. Desviamos, quando possível, a rota desses caminhões para que não cruzem áreas escolares ou de grande movimento de pedestres e afastamos o limite de nossas plantações das cercas dos vizinhos e das estradas para não causar sombra. A partir de 2016, vamos implantar um programa para medir a aceitação de nossas atividades em todos os municípios em que operamos, com a participação de vários públicos. Queremos avaliar regularmente como somos vistos para que possamos aumentar o relacionamento com as comunidades.
  4. 4
    Referência em segurança - nosso alvo é ter uma segurança do trabalho de classe mundial. Criamos programas que buscam desenvolver uma cultura de segurança que nos permita alcançar altos níveis de produtividade enquanto preservamos o bem-estar dos colaboradores (leia mais em Saúde e Segurança de Colaboradores Diretos e Indiretos).
  5. 5
    Manejo florestal sustentável - trabalhamos para manter nosso manejo de florestas como referência entre as empresas do mercado mundial de papel e celulose, obtendo o potencial máximo de produtividade ao mesmo tempo que protegemos a biodiversidade e os recursos naturais, como a água e o solo. A Klabin desenvolve seu manejo florestal em um conceito de mosaico: plantios de pínus e eucalipto são intercalados a áreas de florestas nativas - áreas preservadas da mata atlântica brasileira -, de forma a criar corredores ecológicos que preservam a fauna e a flora local.
Voltar ao topo

Saúde e segurança de colaboradores diretos e indiretos

Na Klabin, a cultura valoriza o desenvolvimento das pessoas, o talento, a interdependência entre os colaboradores. Fazemos isso sobre uma base que prioriza os cuidados com a saúde e a segurança de todos. Fomentamos o protagonismo, o cuidado individual e coletivo, o trabalho em time. Dessa maneira, conseguimos ter excelência, inovação, sustentabilidade e visão de futuro, uma Klabin Extraordinária. Esses têm sido os valores constantes em uma história de crescimento que vem sendo construída há mais de um século por nossos colaboradores.

Um momento especial na construção do ambiente de trabalho e da cultura corporativa da Klabin é o Ciclo de Avaliação de Desempenho 360o, realizado a cada dois anos. Diretores, Gerentes, Coordenadores e Especialistas têm suas competências discutidas e avaliadas pelos superiores hierárquicos diretos, por seus pares e seus subordinados. Cada gestor faz, ainda, uma autoavaliação. Em 2015, mais um desses ciclos foi cumprido. Foram 433 os líderes que participaram do processo, culminando no trabalho de 35 comitês de avaliação na preparação de planos individuais de desenvolvimento para 2016 e em diálogos construtivos para a gestão do desempenho.

Nossa força de trabalho

Total de empregados [G4-10]

Ao final de 2015, a Klabin contava com 16.455 empregados, dos quais 12.522 eram colaboradores diretos, 3.682 colaboradores indiretos e 251 estagiários e aprendizes. Desse total, 68% encontram-se na região Sul do Brasil, onde ficam as principais operações da empresa, 22% estão na região Sudeste e 10% no Nordeste. Entre os colaboradores diretos, a Klabin conta com 90% de homens e 10% de mulheres, proporção que se mantém desde 2014. A entrada em operação da Unidade Puma (PR), em março de 2016, significará a incorporação de cerca de 1.400 trabalhadores diretos e indiretos, considerando a operação fabril e a florestal.

Força de trabalho da klabin

2015 Total: 16.455
  • Colaboradores diretos*
  • Colaboradores indiretos (terceiros e temporários)
  • Outros (aprendizes e estagiários)**
2014 Total: 16.945

* Inclui colaboradores da Unidade Pilar (Argentina).
** A partir de 2015, o item “Outros” considera somente a quantidade de estagiários e aprendizes. Os temporários passaram a ser contados como “Colaboradores indiretos”.

Total de empregados por contrato de trabalho, em 2015

Prazo indeterminado ou permanente

Prazo determinado ou temporário

Outros (aprendizes e estagiários)

  • Homens
  • Mulheres
total de empregados: 12.651
Total de empregados por região e gênero, em 2015
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos1 Outros (aprendizes e estagiários)
Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Total %
Sul 7.413 638 2.700 - 69 57 10.877 68%
Sudeste 2.537 515 423 - 35 30 3.540 22%
Nordeste 1.231 66 243 - 32 28 1.600 10%
Total 11.181 1.219 3.366 - 136 115 16.017 100%
1 A Klabin não possui os dados de colaboradores indiretos discriminados por gênero.
Total de empregados por unidade de negócio, em 2015
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos1 Outros (aprendizes e estagiários) Total
Papéis e Reciclados 4.022 1.206 74 5.302
Florestal 2.417 1.470 27 3.914
Embalagens 3.313 486 105 3.904
Sacos 1.086 53 26 1.165
Corporativo 809 88 16 913
Celulose para Papel 753 63 3 819
Total 12.400 3.366 251 16.017

Todas as nossas contratações atendem rigorosamente à legislação trabalhista. Temos uma política de contratação de profissionais residentes nas comunidades próximas às nossas operações. Nos cargos de gestão dos níveis de supervisão e líderes de turno, por exemplo, os moradores das cidades próximas às nossas fábricas e florestas representam 80% dos profissionais. [GRI G4-EC6]

A Klabin possui 90% de sua força de trabalho composta de homens. Nos órgãos de governança da organização, representados pelos Diretores, pelos Gerentes e pelos Coordenadores, esse percentual é de 84%. Em relação à faixa etária, 35% dos colaboradores têm até 30 anos, enquanto 56% estão entre os 30 e os 50 anos. Do total de colaboradores, 3,7% se autodeclaram negros, enquanto nos órgãos de governança esse percentual representa 0,28%.

Percentual de empregados por categoria funcional e gênero, em 2015 (em %) [G4-LA12]
Homens Mulheres Total
Administrativo 64 36 100
Conselho 79 21 100
Coordenadores 82 18 100
Diretores 94 6 100
Especialistas 75 25 100
Gerentes 89 11 100
Operacional 96 4 100
Total 90 10 100
Percentual de empregados por categoria funcional e faixa etária, em 2015 (em %) [G4-LA12]
Até 30 anos De 30 a 50 anos Acima de 50 anos Total
Administrativo 35 55 10 100
Conselho 0 17 83 100
Coordenadores 7 74 19 100
Diretores 0 19 81 100
Especialistas 5 64 31 100
Gerentes 0 63 37 100
Operacional 37 56 7 100
Total 35 56 9 100
Percentual de empregados por categoria funcional e grupos de minorias, em 2015 (em %) [G4-LA12]
Negros Indígenas Total
Administrativo 1,6 0 1,6
Conselho 0 0 0
Coordenadores 0,4 0 0,4
Diretores 0 0 0
Especialistas 0,7 0 0,7
Gerentes 0 0 0
Operacional 4,3 0,1 4,4
Total 3,7 0,1 3,8

Total de colaboradores cobertos por acordos de negociação coletiva [G4-11]

A Klabin mantém negociações diretas com sindicatos e respeita as lideranças sindicais existentes nas unidades, permitindo a sindicalização dos empregados e o exercício de comunicação dos sindicatos com os empregados por meio de panfletos e assembleias, entre outras formas. Entre os colaboradores, 100% são cobertos por acordos de negociação coletiva.

Proporção entre a remuneração do indivíduo mais bem pago da organização e a remuneração média de todos os colaboradores [G4-54]

Em 2015, a proporção entre a remuneração do indivíduo mais bem pago da Klabin e a remuneração média de todos os outros colaboradores era de 1,25%.

Variação da proporção do salário mais baixo, discriminado por gênero, comparado ao salário mínimo local em unidades operacionais importantes [GRI G4-EC5]

A remuneração mais baixa paga pela Klabin é 1,15 vez maior que o salário mínimo nacional (remuneração para homens na Florestal), que, em 2015, totalizava R$ 788. Nas Unidades Ortigueira (PR) e Piracicaba (SP), essa proporção é de 1,82 para ambos os gêneros, e em Monte Alegre (PR), onde está a maioria dos colaboradores da empresa, a proporção é de 1,66 para homens e mulheres. A proporção entre o maior e o menor salário pagos pela empresa foi de aproximadamente de 30 vezes.

Relação entre o salário mais baixo pago pela organização e o salário mínimo nacional, em 2015, por unidade operacional importante:
Homens Mulheres
Angatuba (SP) 1,92 1,92
Betim (MG) 1,35 1,35
Correia Pinto (SC) 1,29 1,29
São Paulo (SP) 1,92 2,10
Feira de Santana (BA) 1,48 1,48
Florestal (PR e SC) 1,15 1,31
Goiana (PE) 1,28 1,46
Itajaí (SC) 1,51 1,51
Jundiaí (SP) 1,65 1,82
Lages (SC) 1,59 1,77
Monte Alegre (PR) 1,66 1,66
Ortigueira (PR) 1,82 1,82
Otacílio Costa (SC) 1,29 1,29
Piracicaba (SP) 1,82 1,82
São Leopoldo (RS) 1,24 1,24
*Todos os indicadores consideram os números de todas as unidades da Klabin, exceto Pilar (Argentina). [G4-EC5]

A Klabin possui um plano de previdência aberto e com contribuição definida para seus colaboradores. O benefício é oferecido a todos os colaboradores e não há distinção de cargo. Há, no entanto, um benefício mínimo para os colaboradores com salário abaixo de R$ 4.736 e mais de 55 anos de idade. Trata-se de um pagamento de até seis vezes seu salário, efetuado no momento do desligamento. Para ter direito a esse benefício, o colaborador não paga nada. O plano de previdência da Klabin para seus colaboradores tem a seguinte composição de contribuição:

  • contribuição do empregado: de 5% a 9% do seu salário de contribuição (a diferença entre seu salário e R$ 4.736);
  • contribuição da Klabin: de 100% a 200% da contribuição do colaborador, de acordo com o seu tempo de casa. [G4-EC3]

Mais segurança na Florestal

A área Florestal da Klabin tem uma meta desafiadora: alcançar em até três anos o índice de menos de um acidente a cada 1 milhão de horas/homem trabalhadas. Ou seja, chegar a um patamar de segurança no trabalho de classe mundial.

Para esse desafio, é necessário desenvolver a cultura da produção segura, contribuindo com o estímulo à prática do cuidado ativo, em que o colaborador realiza suas atividades cuidando de si, do seu colega de trabalho e, principalmente, permitindo ser cuidado pelos demais companheiros. A preocupação da Klabin é justamente criar as condições para enraizar essa cultura, de forma a garantir a segurança e o bem-estar dos colaboradores diretos e indiretos.

Com esse objetivo, temos programas de treinamento, ações de conscientização, monitoramento e fiscalização voltados para a prevenção de acidentes em todas as nossas áreas de operação. Essas ações, somadas às das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (Cipas), presentes em todas as unidades, alimentam com informações o nosso Programa de Saúde e Segurança Ocupacional (SSO). No nível corporativo, há também o Comitê de Saúde e Segurança, composto de 30 membros de todos os níveis hierárquicos. Seu papel é atuar em todas as unidades por meio das lideranças, com ações preventivas, campanhas ou programas com o intuito de gerar mudança e comprometimento. Todos os colaboradores da Klabin estão representados nesses comitês, uma vez que a liderança é envolvida em suas atividades e suas decisões. [G4-LA5]

As práticas de segurança estabelecidas pela legislação trabalhista e por acordos de negociação coletiva são rigorosamente cumpridas por nossos colaboradores. Também temos como norma a participação de empresas prestadoras de serviços nos Comitês de Segurança das Contratadas, conhecidos como Comsecons, que existem em cada unidade. Há, ainda, cláusulas sobre SSO em todos os acordos formais com sindicatos, visando à segurança do trabalhador.

Programas de Segurança da área Florestal

Programa Caminho Certo

Os motoristas de caminhão de transporte de madeira profissionais da área Florestal assistem a palestras trimestrais sobre segurança no trânsito. Nessas ocasiões, eles também têm a oportunidade de compartilhar histórias e fatos que vivenciaram, depois publicados na revista em quadrinhos Boleia, que é editada pela Klabin e permite ao motorista levar informações de segurança para a família.

Florestal em Família

O cônjuge ou o parceiro do colaborador pode ajudar o profissional a se conscientizar sobre atitudes seguras, ajudando a evitar acidentes. Por isso, desenvolvemos um programa que se propõe a levar esses cônjuges ou parceiros para conhecer o ambiente de trabalho de seu companheiro, suas dificuldades e seus riscos. Nessa ocasião, eles também recebem orientações sobre comportamento seguro, que podem transmitir a outras pessoas.

Gerenciamento Matricial de Segurança (GMS)

Esta é uma nova metodologia utilizada e reforça a cultura de produção segura a partir do controle dos relatos de segurança e ocorrências. O projeto é baseado em três pilares: controle cruzado das informações, desdobramentos, e acompanhamento sistemático das informações.

Segurança monitorada

Como essência da cultura de segurança na Klabin, os incidentes de alto potencial de risco são constantemente analisados na empresa: as situações de perigo no trabalho que não chegam a provocar um acidente podem conter lições para o aprendizado da prevenção. Para isso, é preciso, em primeiro lugar, monitorar, estudar as causas e divulgar os resultados dos estudos dos incidentes de alto risco, da mesma forma como fazemos com os acidentes.

Ninguém cuida só de si mesmo, e ninguém põe em risco apenas a si mesmo: o que cada um faz tem a ver com todos, e um ato inseguro individual - ainda que não tenha resultado em acidente nem deixado vítimas - pode afetar a segurança de muitos. Da mesma forma, um incidente de alto potencial que foi identificado, analisado, discutido e divulgado publicamente vai incrementar a segurança de todos, evitando a repetição dos comportamentos de risco que quase levaram ao acidente.

Tipos e taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absenteísmo e número de óbitos relacionados ao trabalho, discriminados por região e gênero [G4-LA6]

A saúde e a segurança ocupacional (SSO) são temas relevantes em toda a Klabin. Para todas as unidades, são feitos o registro e o relato estatístico de indicadores por meio de ferramentas de controle para o sistema de gestão, respeitando a legislação vigente e com os parâmetros da NBR 14280 e da OHSAS 18001. Algumas taxas não são discriminadas por gênero pelo fato de essa divisão não fazer sentido para a gestão. As taxas de doenças ocupacionais e de absenteísmo não são monitoradas para terceiros. A seguir, apresentamos todas as nossas taxas de SSO, discriminadas por região e gênero, para colaboradores diretos e indiretos, sempre que disponível.

Em 5 de janeiro de 2015, um caminhão pertencente à empresa Triângulo Logística Florestal, que transportava biomassa na região de Telêmaco Borba (PR), perdeu o controle e saiu da pista, colidindo com árvores de pínus na lateral da estrada. O motorista veio a óbito no local da ocorrência. Uma comissão de investigação foi formada para analisar as causas do acidente e recomendou melhorias para aumentar a segurança nas vias. As sugestões incluem solicitar a adequação das estradas na retirada das árvores na faixa de domínio e testar utilização de câmera dentro da cabine dos caminhões.

Taxa de frequência de acidentes – NBR 14280
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 3 1,87 2,11 3 3,2 3,1
Sudeste 4,1 12,09 5,17 2,3 2,7 2,4
Nordeste 4,63 5,23 4 1,9 6,8 3
Homens 3,8 2,2 2,7 2,9 3 2,9
Mulheres 0,9 1 0,9 0,6 5,1 3,2
Total 3,58 2,08 2,51 2,6 3,3 2,9
Taxa de frequência de acidentes – OHSAS 18001
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 0,6 0,37 0,42 0,6 0,6 0,6
Sudeste 0,82 2,42 1,03 0,5 0,5 0,5
Nordeste 0,93 1,05 0,95 0,4 1,4 0,6
Homens 0,8 0,4 0,5 0,6 0,6 0,6
Mulheres 0,2 0,2 0,2 0,1 1 0,6
Total 0,71 0,42 0,5 0,52 0,67 0,58
Taxa de gravidade de acidentes – NBR 14280
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 182 282 260 128 1.222 617
Sudeste 94 154 102 792 18 638
Nordeste 348 213 325 32 47 36
Homens 119 302,5 271 332 1.175 621
Mulheres 7,9 63,3 46,4 9 101 58
Total 180 279 249 302 1.010 564
Taxa de gravidade de acidentes – OHSAS 18001
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 36 56 52 26 244 123
Sudeste 19 31 20 158 4 128
Nordeste 70 43 65 6 9 7
Homens 39,8 60,5 54,3 66 235 124
Mulheres 1,6 12,7 9,3 2 20 12
Total 36 56 50 60,4 202 112,8
Número de dias perdidos
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 2.552 14.177 16.729 1.639 12.672 14.311
Sudeste 549 140 689 4.783 27 4.810
Nordeste 977 122 1.099 85 35 120
Homens 4.060 14.111 18.171 6.492 12.563 19.055
Mulheres 18 328 346 15 167 182
Total 4.078 14.439 18.517 6.507 12.734 19.241
Taxa de doenças ocupacionais1
2015
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 5 - 5
Sudeste 0 - 0
Nordeste 0 - 0
Homens 5 - 5
Mulheres 0 - 0
Total 5 - 5
1 A taxa de doenças ocupacionais só foi reportada para 2015 por mudança na forma de cálculo e não está disponível para colaboradores indiretos.
Taxa de absenteísmo
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Empregados 1,67 1,17 0,08 1,37 1,16 - 2,05 0,81 2,78 0,79 -
Terceiros ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND
Total 1,67 1,17 0,08 1,37 1,16 - 2,05 0,81 2,78 0,79 -
Sudeste Empregados 1,68 0,16 - 2,12 - 0,59 1,65 0,19 2,8 - 0,88
Terceiros ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND
Total 1,68 0,16 - 2,12 - 0,59 1,65 0,19 2,8 - 0,88
Nordeste Empregados 1,59 - - 2,18 3,38 - 2,78 - 2,07 2,42 -
Terceiros ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND
Total 1,59 - - 2,18 3,38 - 2,78 - 2,07 2,42 -
Homens Empregados 1,77 0,82 0,02 2,11 1,79 0,57 1,93 0,78 2,79 1,41 0,55
Terceiros ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND
Total 1,77 0,82 0,02 2,11 1,79 0,57 1,93 0,78 2,79 1,41 0,55
Mulheres Empregados 2,34 0,70 0,35 2,48 0,97 0,62 1,56 1,72 3,48 1,8 1,28
Terceiros ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND ND
Total 2,34 0,70 0,35 2,48 0,97 0,62 1,56 1,72 3,48 1,8 1,28
Número de óbitos
2015 2014
Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total Colaboradores diretos Colaboradores indiretos Total
Sul 0 1 1 0 2 2
Sudeste 0 0 0 0 0 0
Nordeste 0 0 0 0 0 0
Homens 0 1 1 0 2 2
Mulheres 0 0 0 0 0 0
Total 0 1 1 0 2 2

Para maior comparabilidade dos dados, a Klabin também faz o acompanhamento de todas as taxas por unidades de negócio.

Taxa de frequência de acidentes - NBR 14.280
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 2,0 3,2 1,5 6,7 3,0 0,0 1,2 3,8 7,5 2,4 0
Colaboradores indiretos 0,7 1,9 2,0 5,3 3,2 0,0 3,1 2 8,6 11,8 0
Total 1,4 2,6 2,0 6,6 3,0 0,0 2,1 2,85 1,5 4 0
Sudeste Colaboradores diretos 2,5 18,5 0,0 4,4 0,0 3,5 2,3 0 2,6 0 1,2
Colaboradores indiretos 24,7 18,8 0,0 8,6 0,0 0,0 0 0 4,4 0 0
Total 6,2 18,7 0,0 5,0 0,0 3,5 1,4 0 2,9 0 1,2
Nordeste Colaboradores diretos 6,4 0,0 0,0 5,0 0,0 0,0 0 0 2,5 0 0
Colaboradores indiretos 15,8 0,0 0,0 4,1 0,0 0,0 0 0 2,9 0 0
Total 7,5 0,0 0,0 4,8 0,0 0,0 0 0 2,6 0 0
Homens Colaboradores diretos 2,5 3,7 1,5 5,4 2,8 3,9 1,3 3,8 3,6 2 0
Colaboradores indiretos 1,7 2,3 2,1 6,5 3,2 0,0 3,3 2 4,9 10,4 0
Total 2,1 3,1 2,1 5,6 2,9 3,9 2,2 2,8 3,9 3,4 0
Mulheres Colaboradores diretos 1,5 0,0 0,0 1,4 0,0 0,0 0 0 0 0 6
Colaboradores indiretos 0,0 0,0 1,0 7,3 0,0 0,0 0 0 0 0 0
Total 0,0 0,0 1,0 2,3 0,0 0,0 0 0 0 0 6
Taxa de frequência de acidentes – OHSAS 18001
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 0,4 0,6 0,3 1,4 0,6 0,0 0,2 0,8 1,5 0,5 0
Colaboradores indiretos 0,1 0,4 0,4 1,1 0,6 0,0 0,6 0,4 1,7 2,4 0
Total 0,3 0,5 0,4 1,3 0,6 0,0 0,4 0,6 0,3 0,8 0
Sudeste Colaboradores diretos 0,5 3,7 0,0 0,9 0,0 0,7 0,5 0 0,5 0 0,2
Colaboradores indiretos 5,0 3,8 0,0 1,7 0,0 0,0 0 0 0,9 0 0
Total 1,2 3,7 0,0 1,0 0,0 0,7 0,3 0 0,6 0 0,2
Nordeste Colaboradores diretos 1,3 0,0 0,0 1,0 0,0 0,0 0 0 0,5 0 0
Colaboradores indiretos 3,2 0,0 0,0 0,8 0,0 0,0 0 0 0,6 0 0
Total 1,5 0,0 0,0 1,0 0,0 0,0 0 0 0,5 0 0
Homens Colaboradores diretos 0,5 0,7 0,3 1,1 0,6 0,8 0,3 0,8 0,7 0,4 0
Colaboradores indiretos 0,3 0,5 0,4 1,3 0,6 0,0 0,7 0,4 1 2,1 0
Total 0,2 0,6 0,4 1,1 0,6 0,8 0,4 0,6 0,8 0,7 0
Mulheres Colaboradores diretos 0,3 0,0 0,0 0,3 0,0 0,0 0 0 0 0 1,2
Colaboradores indiretos 0,0 0,0 0,2 1,5 0,0 0,0 0 0 0 0 0
Total 0,2 0,0 0,2 0,5 0,0 0,0 0 0 0 0 1,2
Taxa de gravidade de acidentes – NBR 14.280
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 139 273 10 66 238 0 90 153 89 242 0
Colaboradores indiretos 235 1583 153 159 19 0 1.265 1.384 24 109 0
Total 188 892 150 76 203 0 644 827 24 220 0
Sudeste Colaboradores diretos 31 575 0 118 0 31 245 0 1.067 0 22
Colaboradores indiretos 637 245 0 35 0 0 6 0 26 0 0
Total 132 411 0 106 0 31 153 0 26 0 22
Nordeste Colaboradores diretos 1.670 0 0 95 0 0 0 0 42 0 0
Colaboradores indiretos 1.758 0 0 23 0 0 2.901 0 51 0 0
Total 1.681 0 0 81 0 0 96 0 51 0 0
Homens Colaboradores diretos 257 307 10 112 220 34,3 106 151 596 205 0
Colaboradores indiretos 290,9 1.740,4 160,6 51,2 19,5 0 1.140 1.366 34 97 0
Total 272,9 984,6 158,1 102,7 190,8 34,3 576 817 481 188 0
Mulheres Colaboradores diretos 22 0 0 4 0 0 0 0 0 0 9
Colaboradores indiretos 0 0 81,7 14,6 0 0 0 0 0 0 0
Total 11,9 0 80,3 5,7 0 0 0 0 0 0 9
Taxa de gravidade de acidentes – OHSAS 18001
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 28 55 2 13 48 0 18 30,6 17,8 48,4 0
Colaboradores indiretos 47 317 31 31 4 0 253 276,8 4,8 21,8 0
Total 38 178 30 15 41 0 128,8 165,4 4,8 44 0
Sudeste Colaboradores diretos 6 115 0 24 0 6 49 0 213,4 0 4,4
Colaboradores indiretos 127 49 0 7 0 0 1,2 0 5,2 0 0
Total 26 82 0 21 0 6 30,6 0 5,2 0 4,4
Nordeste Colaboradores diretos 334 0 0 19 0 0 0 0 8,4 0 0
Colaboradores indiretos 352 0 0 5 0 0 580,2 0 10,2 0 0
Total 336 0 0 16 0 0 19,2 0 10,2 0 0
Homens Colaboradores diretos 51 62 2,1 23 44 6,9 21,2 30,2 119,2 41 0
Colaboradores indiretos 58,2 348,1 32,1 10,2 3,9 0 228 273,2 6,8 19,4 0
Total 54,6 196,9 31,6 20,5 38,2 6,9 115,2 163,4 96,2 37,6 0
Mulheres Colaboradores diretos 4,5 0 0 0,8 0 0 0 0 0 0 1,8
Colaboradores indiretos 0 0 16,3 4,4 0 0 0 0 0 0 0
Total 2,4 0 16,1 1,1 0 0 0 0 0 0 1,8
Taxa de dias perdidos
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 758 1.294 7 98 395 0 521,00 557 154 407 0
Colaboradores indiretos 1.338 6.711 6.092 30 6 0 6.519 6.144 11 37 0
Total 2.096 8.005 6.099 128 401 0 7.031 6.671 165 444 0
Sudeste Colaboradores diretos 25 31 0 458 0 35 213 0 4.551 0 15
Colaboradores indiretos 103 13 0 24 0 0 33 0 24 0 0
Total 128 44 0 482 0 35 246 0 4.575 0 15
Nordeste Colaboradores diretos 787 0 0 190 0 0 0 0 85 0 0
Colaboradores indiretos 111 0 0 11 0 0 30 0 35 0 0
Total 898 0 0 201 0 0 30 0 120 0 0
Homens Colaboradores diretos 1.555 1.325 7 743 395 35 734 557 4.790 407 0
Colaboradores indiretos 1.552 6.724 5.766 65 0 0 6.525 6.114 28 28 0
Total 3.107 8.049 5.773 808 395 35 7.250 6.671 4.818 435 0
Mulheres Colaboradores diretos 15 0 0 3 0 0 0 0 0 0 15
Colaboradores indiretos 0 0 326 3 0 0 57 0 42 9 0
Total 15 0 326 6 0 0 57 0 42 9 15
Taxa de doenças ocupacionais1
2015
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 3 1 0 0 1 0
Colaboradores indiretos - - - - - -
Total 3 1 0 0 1 0
Sudeste Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos - - - - - -
Total 0 0 0 0 0 0
Nordeste Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos - - - - - -
Total - - - - - -
Homens Colaboradores diretos 3 1 0 0 1 0
Colaboradores indiretos - - - - - -
Total 3 1 0 0 1 0
Mulheres Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos - - - - - -
Total 0 0 0 0 0 0
1 A taxa de doenças ocupacionais só foi reportada para 2015 por mudança na forma de cálculo e não está disponível para colaboradores indiretos.
Número de óbitos
2015 2014
Papéis e Reciclados Florestal Celulose Embalagens Sacos Corporativo Papéis e Reciclados Florestal Embalagens Sacos Corporativo
Sul Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos 0 1 0 0 0 0 1 1 0 0 0
Total 0 1 0 0 0 0 1 1 0 0 0
Sudeste Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Nordeste Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Homens Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Mulheres Colaboradores diretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Colaboradores indiretos 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Em prol da saúde

A Klabin cuida de seus colaboradores com programas voltados para a saúde e o bem-estar.

  • Programa Viver Bem – um plantão telefônico que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana, orienta, em uma primeira abordagem, os trabalhadores de qualquer área da empresa na resolução de problemas particulares. Uma equipe treinada para identificar a natureza do problema e encaminhar o caso à avaliação do profissional mais indicado, que pode ser um psicólogo, um assistente social, um advogado ou um consultor financeiro, está sempre a postos. A Klabin não tem acesso às ligações, que são recebidas por uma empresa independente. Quando o assunto é a própria Klabin, a questão é levada para a Ouvidoria da empresa.
  • Programa Viver Bem Sempre – complemento do Programa Viver Bem criado especialmente para ajudar os colaboradores a pensar no futuro. São realizados encontros para discutir temas ligados ao amadurecimento profissional, esclarecer dúvidas sobre a aposentadoria e o planejamento de questões legais e financeiras relacionadas a ela e auxiliar na elaboração de um projeto de vida.
  • Eventos de saúde e segurança – todas as unidades industriais da Klabin oferecem ações para colaboradores voltadas para a saúde e a segurança. Esses eventos estão ligados ao Dia Nacional da Saúde ou à Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) e oferecem medições dos índices de acompanhamento ambulatorial, palestras sobre alimentação saudável, atividades físicas e saúde bucal e auditiva. Um exemplo é a 2ª Semana de Saúde realizada na Unidade Goiana (PE), que contou com a participação de 60 colaboradores. Outra amostra desse engajamento foram as orientações básicas de saúde e os exames médicos, como acuidade visual, aferição de pressão arterial e testes de colesterol e glicemia, oferecidos gratuitamente à população de Angatuba (SP) em um evento realizado pela Klabin na Praça da Matriz da cidade, em conjunto com a Polícia Militar do município, o Sesi e outros parceiros da região. Em 2015, foram mais de 4 mil pessoas presentes.
  • Conscientização sobre doenças – todas as unidades da Klabin têm, anualmente, a Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat). Nela, os colaboradores e seus familiares assistem a palestras sobre os riscos de doenças ocupacionais, doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e outras enfermidades. Ao longo do ano são realizadas, também, campanhas de esclarecimento e prevenção sobre câncer de mama, diabetes e câncer de próstata.

A Escola de Negócios se amplia

A Escola de Negócios Klabin (ENK) é uma das ferramentas que desenvolvemos para impulsionar uma cultura na qual cada pessoa assume o protagonismo do seu desenvolvimento profissional.

Organizada em “trilhas de conhecimento”, nela o colaborador encontra treinamentos adequados a cada etapa da sua vida profissional. Os conteúdos são disponibilizados online no Portal ENK, em workshops e em treinamentos presenciais. No Portal, há cursos, vídeos, artigos, seminários, posts, enquetes e debates sobre diversos tópicos, como ética, negociação e inovação. Entre os temas presenciais há programas de liderança desenvolvidos de forma customizada, com o objetivo de auxiliar os líderes da Klabin a atingir resultados extraordinários por meio de pessoas. Os programas presenciais e online promovem formas combinadas de aprendizagem sobre conteúdos comportamentais, técnicos, de gestão e de negócios. Além disso, representam um espaço aberto à colaboração, promovendo troca de informações entre os profissionais em diferentes plataformas.

Criada em 2013, a Escola de Negócios Klabin já conta com resultados de grande sucesso: cerca de 7 mil usuários têm acesso a seus conteúdos, dos quais 4.500 chegaram ao Portal em 2015. Destinado a cargos diversos, entre Diretores, Gerentes, Coordenadores, Especialistas, Supervisores e Técnicos Superior e Administrativo, o Portal ainda teve seu acesso ampliado para mais níveis de cargo e, em algumas unidades do Paraná e de Santa Catarina, para todos os níveis. No mesmo ano, também foi lançada a extensão do Portal para o aplicativo em versão móvel. O passo seguinte é ampliá-lo para mais quadros técnicos e operacionais, sempre com o mesmo conceito: a estruturação de trilhas de aprendizagem que cada indivíduo deve percorrer ao longo da sua carreira para atingir os objetivos profissionais que escolheu. A Escola de Negócios ainda conta com um recurso para informação mais rápida. São as Pílulas de Conhecimento do Portal, com vídeos de 60 segundos sobre diversos temas, como técnicas de apresentação e língua portuguesa.

Número médio de horas de treinamento por ano por empregado, discriminado por gênero e categoria funcional [G4-LA9]

Em 2015, a Klabin ofereceu mais de 606 mil horas de treinamento a 12.570 colaboradores, totalizando uma média de 48,3 horas por colaborador (HHT – hora/homem treinamento). O valor cresceu em relação a 2014, especialmente para Diretores, de nível técnico e nível operacional. A esse último foram oferecidas mais de 480 mil horas de treinamento que alcançaram mais de 9 mil colaboradores.

Número médio de horas de treinamento realizado pelos empregados, por categoria funcional
2015 2014
Número de participantes Número total de horas Horas por colaborador (HHT) Número de participantes Número total de horas Horas por colaborador (HHT)
Diretores 16 97 6,1 16 6,8 2,3
Homens 15 53 3,5 15 6,8 2,3
Mulheres 1 44 44,0 1 0,0 0,0
Gerentes e coordenadores 343 21.725 63,3 306 15.591,2 55,3
Homens 288 17.480 60,7 259 13.053,1 55,3
Mulheres 55 4.245 77,2 47 2.538,1 55,2
Nível administrativo 895 19.990 22,3 771 18.016,4 32,9
Homens 484 9.973 20,6 413 8.898,8 33,2
Mulheres 411 10.017 24,4 358 9.117,6 32,7
Nível técnico 1.206 81.488 67,6 1.133 57.361,2 42,0
Homens 871 67.471 77,5 827 44.797,4 42,3
Mulheres 335 14.017 41,8 306 12.563,8 40,9
Nível operacional 9.916 480.610 48,5 8.806 334.125,8 40,7
Homens 9.504 452.642 47,6 8.471 326.309,7 41,3
Mulheres 412 27.968 67,9 335 7.816,2 24,0
Aprendizes 194 2.890 14,9 173 4.095,1 25,1
Homens 102 1.444 14,2 99 2.884,0 31,7
Mulheres 92 1.446 15,7 74 1.211,1 16,8
Total1 12.570 606.800 48,3 11.205 429.196,4 40,6
1 Para o cálculo, não foram considerados membros do Conselho, estagiários e colaboradores indiretos
Voltar ao topo

Certificações, compromissos e reconhecimentos

Para assegurar aos clientes, às comunidades nas quais está presente e à sociedade que segue as melhores práticas de responsabilidade social e ambiental, a Klabin busca certificações reconhecidas pelos mercados globais.

Atribuídas por organizações independentes que estabelecem normas e auditam seu cumprimento, essas certificações permitem afirmar, por exemplo, que toda a matéria-prima proveniente das nossas florestas plantadas é cultivada de forma correta do ponto de vista ambiental e social - um diferencial para clientes que desejam assegurar ao seu público consumidor que são utilizadas embalagens sustentáveis em seus produtos. Da mesma forma, ajudamos os produtores fomentados - dos quais compramos parte da madeira para nossas fábricas - a também buscar a certificação, por meio da aderência às normas ambientais, trabalhistas e sociais hoje exigidas pelos mercados mais desenvolvidos.

Principais certificações internacionais da Klabin

  • FSC® – FOREST STEWARDSHIP COUNCIL®

    É uma certificação que assegura o correto manejo florestal por meio de dez princípios, entre eles o uso eficiente dos múltiplos produtos e serviços da floresta, bem-estar dos trabalhadores e das comunidades, conservação da biodiversidade, plano de manejo detalhado, monitoramento e avaliação de impactos ambientais e sociais.

    • Certificações FSC® da Klabin
    • Embalagem – FSC®-C001941
    • Florestal – FSC®-C100282, C022516, C023492, C007520
    • Papel – FSC®-C019124, FSC®-C018669 e FSC®-C006109
    • Reciclados – FSC®-C001941
    • Sacos industriais – FSC®-C017793
    • Trade – FSC®-C020857
    • Celulose – FSC®-C129105
  • OK COMPOST

    A Klabin é a primeira empresa brasileira do setor de papel e celulose a ter em seus sacos de cimento a certificação belga OK Compost, que garante que o saco de papel se decompõe completamente em até 12 semanas sem oferecer risco de contaminação ao meio ambiente.

  • FSSC 22000

    É uma das mais avançadas normas utilizadas para assegurar a procedência do papel para embalagem de alimentos. A certificação foi criada tendo como base a ISO 22000, complementando-a ao especificar claramente os pré-requisitos necessários para a produção de embalagens que garantam segurança à saúde do consumidor final. Determina pré-requisitos como limpeza e organização da área produtiva, além de controle da qualidade da água e do ar e controle de pragas, necessário à produção de embalagens para alimentos.

  • ISEGA

    Garante a qualidade do papel usado para a produção de embalagens que entram em contato com alimentos.

  • ISO 14001

    Define a metodologia de implementação de um Sistema de Gestão Ambiental certificado. É reconhecida mundialmente como meio de melhorar o desempenho ambiental e controlar custos das organizações.

  • ISO 9001

    Possui diretrizes que asseguram um modelo de gestão capaz de garantir a uniformidade do produto. Engloba todas as etapas dos processos relacionados à qualidade, desde o projeto até a entrega do produto final.

  • OHSAS 18001

    Permite controlar e melhorar o nível do desempenho da gestão da saúde e da segurança. A aplicação da OHSAS 18001 retrata a preocupação da Klabin com a integridade física de seus colaboradores e de seus parceiros.

  • TPM – TOTAL PRODUCTIVE MAINTENANCE

    Criado em 2002, o Klabin Superar (PKS) é um programa de melhoria contínua que utiliza a metodologia japonesa Total Productive Maintenance (TPM). Os objetivos principais são reduzir custos, aumentar a produtividade, melhorar a qualidade, racionalizar o estoque de produtos, eliminar os acidentes de trabalho e valorizar as pessoas.

  • TOP EMPLOYERS

    A Klabin é a primeira empresa do setor de papel e celulose no Brasil a receber o selo Top Employers, certificação mundialmente reconhecida na área de Recursos Humanos. Concedida pelo Top Employers Institute, sediado na Holanda, a certificação se dá após um rigoroso processo de avaliação e auditoria e destaca, anualmente, as empresas com práticas relevantes em gestão de pessoas.

Gestão ambiental reconhecida

Dois reconhecimentos em especial atestam o cuidado e eficiência de nossa gestão ambiental em 2015:

  • Relatório de Performance Ambiental 2015 – WWF

    A Klabin participou, pela segunda vez, do Relatório de Performance Ambiental Environmental Paper Company Index (EPCI), realizado a cada dois anos pelo World Wildlife Fund (WWF). A companhia alcançou um índice de 82% de aproveitamento no Relatório, tendo crescido 7,5% no índice geral em relação ao estudo anterior, divulgado em 2013. O WWF avaliou o desempenho de 80 empresas do setor de papel da Europa, da América do Norte, da América do Sul, da Ásia e da África. No detalhamento dos fatores que compõem o índice, tivemos 100% de aproveitamento no item Fornecimento Responsável de Fibra e 81% no item Produção Limpa.

  • Melhor Prática de Gestão do Capital Natural – CDP Latin America 2015

    A Klabin foi reconhecida como a companhia que possui a Melhor Prática de Gestão do Capital Natural pelo Carbon Disclosure Project (CDP), iniciativa que reuniu experiências relacionadas à Gestão de Riscos Hídricos, ao Uso de Preço Interno de Carbono e à Gestão do Capital Natural das 20 empresas com a melhor pontuação de acordo com a metodologia de avaliação do CDP.

Nossos compromissos [G4-15]

A Klabin endossa diversas cartas, princípios, compromissos e iniciativas alinhadas com seu posicionamento em sustentabilidade.

  • Pacto Global (desde 2003)

    Mobilização empresarial internacional de apoio à Organização das Nações Unidas (ONU) na promoção de dez princípios que reúnem valores fundamentais nas áreas de meio ambiente, direitos humanos e trabalhistas e de combate à corrupção. O Pacto Global é uma contribuição das empresas para a busca de uma economia global mais sustentável e inclusiva.

  • Carbon Disclosure Project (CDP) (desde 2006)

    Iniciativa mundial para facilitar o diálogo entre investidores e empresas que procuram minimizar os impactos ambientais de seus negócios diante das mudanças climáticas.

    Saiba mais no capítulo Sustentabilidade.

  • Empresas pelo Clima (EPC) (desde 2009)

    Plataforma empresarial permanente que tem o objetivo de mobilizar, sensibilizar e articular lideranças empresariais para a gestão e a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEEs), a gestão de riscos climáticos e a proposição de políticas públicas e incentivos positivos no contexto das mudanças climáticas.

  • Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) (desde 2013)

    Criado em dezembro de 2005 pela BM&FBovespa, o Índice busca avaliar de forma integrada os diferentes aspectos da sustentabilidade. Seu objetivo é atuar como indutor de boas práticas no meio empresarial brasileiro. As empresas são selecionadas com base em critérios estabelecidos pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (Eaesp-FGV).

  • Objetivos do Milênio (desde 2013)

    As metas do milênio foram estabelecidas pelas Nações Unidas em 2000, com o apoio de 191 nações, e ficaram conhecidas como Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs). São um compromisso universal para a erradicação da pobreza e para a sustentabilidade do planeta, traduzido em oito metas – os 8 Objetivos do Milênio. São eles:

    1. Acabar com a fome e a miséria;
    2. Oferecer educação básica de qualidade para todos;
    3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres;
    4. Reduzir a mortalidade infantil;
    5. Melhorar a saúde das gestantes;
    6. Combater a Aids, a malária e outras doenças;
    7. Garantir qualidade de vida e respeito ao meio ambiente;
    8. Estabelecer parcerias para o desenvolvimento.
  • Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) (desde 2015)

    Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são o atual desdobramento proposto para os Objetivos do Milênio – uma agenda mundial com 17 objetivos e 169 metas estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) para os governos, sociedade civil e setor privado. De acordo com os objetivos e metas, são previstas ações mundiais em áreas como:

    • Erradicação da pobreza;
    • Segurança alimentar;
    • Agricultura;
    • Saúde;
    • Educação;
    • Igualdade de gênero;
    • Redução das desigualdades;
    • Energia;
    • Água e saneamento;
    • Padrões sustentáveis de produção e de consumo;
    • Mudança do clima;
    • Cidades sustentáveis;
    • Proteção e uso sustentável dos oceanos e dos ecossistemas terrestres;
    • Crescimento econômico inclusivo;
    • Infraestrutura, industrialização.
  • IDLocal (desde 2013)

    A Iniciativa Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos (IDLocal) visa articular o setor empresarial para refletir, trocar experiências e construir propostas e diretrizes empresariais para o desenvolvimento local. Promove o diálogo, o estudo, a articulação e a cocriação de propostas, metodologias e ferramentas de gestão local. Tudo com vistas a inserir o desenvolvimento local na estratégia do negócio das empresas responsáveis por investimentos em territórios mais vulneráveis no contexto dos grandes empreendimentos. A Klabin, em 2014, desenvolveu um projeto de empoderamento local e de engajamento no Paraná, reunindo ações, programas e iniciativas que geram impactos positivos ao território e às comunidades.

  • Pacto Nacional pela Erradicação do Trabalho Escravo (desde 2013)

    Lançado em 2005, reúne empresas brasileiras e multinacionais que assumiram o compromisso de não negociar com quem explora o trabalho escravo. Além de restringir economicamente os empregadores que cometem esse crime, o Pacto prevê a promoção do trabalho decente, a integração social dos trabalhadores em situação de vulnerabilidade e o combate ao aliciamento. As empresas que são signatárias dessa iniciativa participam do processo de monitoramento do Pacto e têm o compromisso de tornar públicos os resultados de seus esforços para o combate a essa mazela.

  • Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção (desde 2013)

    O Pacto foi lançado em junho de 2006, por iniciativa do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, do UniEthos – Formação e Desenvolvimento da Gestão Socialmente Responsável, da Patri Relações Governamentais & Políticas Públicas, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), do Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (UNODC) e do Comitê Brasileiro do Pacto Global. Os principais compromissos expressos no texto são: informação sobre legislação; divulgação, orientação e respostas sobre princípios legais aplicáveis às suas atividades; vedação ao suborno; contribuição transparente e lícita a campanhas políticas; propagação de princípios do Pacto entre seus públicos; investigações abertas e transparentes; e atuação na cadeia produtiva.

Reconhecimentos

Além das certificações formais, a Klabin tem a excelência de seus processos, produtos e resultados reconhecida por premiações diversas, concedidas por organizações, veículos, parceiros e comunidades. A seguir, os prêmios e os reconhecimentos que recebemos em 2015.

  • Empresa de Valor 2015 – Valor Econômico

    A Klabin foi eleita a Empresa de Valor 2015 e a melhor do setor de papel e celulose, na 15ª edição do anuário Valor 1000, publicado pelo jornal Valor Econômico. A escolha segue critérios homologados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e pela Serasa Experian, avaliando um conjunto de indicadores econômicos e critérios de governança corporativa, envolvimento social e respeito ao consumidor e ao meio ambiente.

MEMBROS DA DIRETORIA E DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA KLABIN

  • Empresas mais 2015 - O Estado de S. Paulo

    A Klabin foi vencedora na categoria Papel e Celulose do prêmio Empresas Mais, promovido pelo jornal O Estado de S. Paulo, que publica o Anuário Empresas Mais. A seleção obedece a uma metodologia desenvolvida em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA) para avaliar o desempenho das empresas que atuam no País.

  • Anuário Melhores & Maiores da Exame 2015

    Destaque na premiação da revista Exame, a Klabin foi eleita A Melhor Empresa do Ano no Agronegócio. A companhia também foi reconhecida em outras duas categorias: A Melhor Empresa do Setor de Papel e Celulose e A Melhor Empresa no Setor de Madeira e Celulose. O anuário avalia as companhias nos 18 principais setores da economia.

  • Gestão da Água - Guia Exame de Sustentabilidade 2015

    A Klabin recebeu o prêmio de destaque na categoria Gestão da Água no Guia Exame de Sustentabilidade. A companhia também foi listada entre as empresas mais sustentáveis do Brasil pelo Guia. A escolha segue uma metodologia elaborada pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) da Fundação Getulio Vargas de São Paulo (FGV/SP).

  • As Empresas mais Admiradas do Brasil 2015 - Carta Capital

    Pelo quarto ano consecutivo, a Klabin foi eleita a empresa mais admirada do Brasil na categoria Papel e Celulose pela revista Carta Capital. As mais admiradas são escolhidas em pesquisa feita com um grupo de executivos, que avaliam e pontuam companhias de diversos setores.

  • CFO of the year 2015 - Latin Trade

    O Latin Trade Group elegeu Antonio Sérgio Alfano, Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Klabin, o CFO of the Year Brasil. O prêmio reconhece a cada ano os executivos financeiros que se destacaram na condução das finanças nas companhias em que atuam.

  • Melhores do Agronegócio 2015 - Revista Globo Rural

    A Klabin recebeu, pelo segundo ano, o reconhecimento de melhor empresa na categoria Reflorestamento, Celulose e Papel da revista Globo Rural. Promovida em parceria com a Serasa Experian, a 11ª edição do prêmio revelou uma radiografia completa do desempenho financeiro das grandes empresas do agronegócio.

  • As Melhores da Dinheiro Rural 2015 - Istoé Dinheiro Rural

    Pelo terceiro ano consecutivo, a Klabin foi a melhor do setor de Papel, Celulose e Reflorestamento. A companhia também ficou em primeiro lugar em outras duas categorias: Melhor Empresa de Grande Porte do Agronegócio Indireto e Melhor Gestão Financeira de Empresa de Grande Porte do Agronegócio Indireto. O prêmio avaliou dados financeiros e informações gerenciais de mais de 500 companhias do agronegócio.

  • 500 Maiores do Sul 2015 - Revista Amanhã

    Pelo terceiro ano consecutivo, a Klabin foi destaque no setor de Papel e Celulose da região Sul. A companhia também foi reconhecida por ser a terceira empresa do ranking regional do Paraná. Na classificação geral, ocupa a nona posição. A premiação é organizada há 25 anos pela revista Amanhã em parceria com a consultoria PwC.

  • Destaque do Ano 2015 - Associação Comercial do Rio de Janeiro

    A Klabin foi reconhecida como Destaque do Ano pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) por sua contribuição histórica para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável do País, em especial pela construção da nova unidade em Ortigueira, no Paraná.

  • Empreendedor José Paschoal Baggio 2015 - Correio Lageano

    Pelo 17º ano consecutivo, a Klabin conquistou o prêmio Empreendedor José Paschoal Baggio. Criado em 1999 pelo jornal Correio Lageano, o reconhecimento homenageia e valoriza as empresas que contribuem para a melhoria das condições socioeconômicas da Serra Catarinense. Nesta edição, as 50 empresas com maior retorno de ICMS da região foram premiadas.

  • Prêmio Qualidade Flexo 2015 - Associação Brasileira Técnica de Flexografia

    A Klabin conquistou o prêmio Fornecedor Premium na categoria de Substratos da Associação Brasileira Técnica de Flexografia (Abflexo). Em sua 23ª edição, a Abflexo/FTA-Brasil reconhece os fornecedores que contribuem para o desenvolvimento da tecnologia flexográfica e da conversão digital de convertedores brasileiros.

  • Selo CLima Paraná 2015 - Categoria Ouro

    A Klabin recebeu o Selo Clima Paraná na categoria Ouro, que reconhece as empresas que formulam e publicam inventários de suas emissões de gases de efeito estufa. O selo, lançado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos conta com a participação da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e é um registro público de adesão voluntária das companhias instaladas no Estado.

  • Empresa do Ano 2015 - Grupo Gestão RH

    A Klabin foi eleita a empresa do ano em boas práticas de gestão de pessoas na América Latina pelo Grupo Gestão RH. A escolha se baseia no ranking das 500 Maiores Empresas da América Latina, da revista América Economía, e em pesquisas desenvolvidas pela editora Gestão RH.

  • Destaques do Setor 2015 - Associação BrasileiraTécnica de Celulose e Papel (ABTCP)

    A Klabin foi vencedora do prêmio Destaques do Setor 2015, da Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP) nas categorias Desenvolvimento Humano e Organizacional, Responsabilidade Social e Fabricante de Papel para Embalagem. Nessa última categoria, foi reconhecida pelo sétimo ano consecutivo. O prêmio da ABTCP destaca as melhores empresas de cada segmento do setor de papel e celulose.

  • Empresas que melhor se comunicam com jornalistas 2015 - Revista Negócios da Comunicação

    A Klabin foi reconhecida na categoria Papel e Celulose do prêmio Empresas que Melhor se Comunicam com Jornalistas. Promovida pela revista Negócios da Comunicação, a premiação ouviu 25 mil jornalistas, que tiveram a oportunidade de escolher 3 das melhores empresas que mantêm um bom relacionamento com a imprensa em cada um dos setores econômicos listados na pesquisa.

  • Sul for Export 2015 – Revista Amanhã

    A Klabin foi reconhecida no prêmio Sul for Export nas categorias Maiores Exportadores e Maiores por Setor. O ranking premia as 90 empresas que mais exportam a partir do Sul do País. A companhia foi destaque no setor de Papel e Celulose e ocupa a 21ª posição no ranking geral.

Voltar ao topo

Gestão responsável dos recursos naturais e do relacionamento com a comunidade

A sustentabilidade está na essência do que fazemos. Conservar recursos naturais e reduzir ao mínimo os impactos de nossa atividade sobre o meio ambiente e as comunidades onde atuamos são condições indispensáveis para o crescimento e a perenidade da Klabin. Essas questões são tão importantes para nós que estão presentes em nossa Materialidade na forma de dois temas que serão tratados neste capítulo:

As boas práticas da Sustentabilidade

Para a Klabin, 2015 foi um ano de importantes realizações, que resultaram no reconhecimento de nossos esforços pela sustentabilidade. São exemplos disso nosso destaque no Carbon Disclosure Project (CDP) e no Relatório de Performance Ambiental Environmental Paper Company Index (EPCI) do World Wildlife Fund (WWF) e nossos compromissos registrados em objetivos e metas de sustentabilidade, entre eles a redução da emissão de gases de efeito estufa (GEE), a redução do consumo de água e energia e o aumento da participação de fontes renováveis na matriz energética da companhia.

Saiba mais no capítulo Excelência.

Os prêmios que recebemos (leia mais no Capítulo Excelência) e os resultados concretos de nossos compromissos são indicadores tangíveis da importância da sustentabilidade para a Klabin. Outros sinais mostram que começa a se estabelecer uma via de mão dupla na conversa global sobre a sustentabilidade no âmbito das empresas. Organizações como a nossa, nascidas e desenvolvidas em um país emergente, demonstram que podem ter práticas iguais - ou mais avançadas - àquelas vigentes nos países desenvolvidos. Faz parte de nossos esforços manter um olhar constante para o mundo em busca de boas práticas, mas começamos a notar que outros, lá fora, olham para nós com o mesmo objetivo.

Estratégia de sustentabilidade

A partir da Materialidade, atualizada em 2014, avançamos em direção a uma Estratégia de Sustentabilidade para a Klabin. Tomamos por norte nossa Visão do tema e a Política de Sustentabilidade, que são a base para nossa atuação nesse tema (saiba mais no destaque abaixo). Tratar dessa questão com cuidado e de forma central em todas as nossas atividades é um compromisso de longo prazo que assumimos com os acionistas, os clientes, os colaboradores, os fornecedores e as comunidades nas quais atuamos.

Essa estratégia deve aliar três elementos principais: os temas materiais, um conjunto de indicadores de sustentabilidade e os objetivos estratégicos compartilhados por toda a organização. O trabalho de definição de seus termos foi desenvolvido em 2015, com a parceria de uma consultoria especializada. Foram entrevistados gestores e colaboradores das unidades de negócio e das áreas corporativas e analisados documentos internos, benchmarks e referências globais do setor. O resultado está sintetizado na figura e no quadro abaixo. A figura apresenta os recursos da Klabin nas esferas de governança e gestão de sustentabilidade e o quadro mostra os objetivos estratégicos associados a cada um dos temas da Matriz de Materialidade da companhia.

Estratégia de sustentabilidade

Visão de sustentabilidade

Acreditamos que sustentabilidade é criação contínua de valor, que privilegia o equilíbrio entre as esferas econômica, social e ambiental. S